Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Janeiro de 2021

Policial

Video: Mulher, que matou filha, encomendou a morte do genro para vingar estupro

Ela encomendou a morte de Felipe Leonardo Corrêa, 22, mas a filha, Karine Aparecida da Silva Oliveira Pedroso, 18, acabou sendo morta.

Campo Grande News

30 de Janeiro de 2014 - 14:54

Após ser presa por matar a filha por engano, Maria Aparecida da Silva Oliveira, 39 anos, disse estar arrependida e que o genro já havia a estuprado. Ela encomendou a morte de Felipe Leonardo Corrêa, 22, mas a filha, Karine Aparecida da Silva Oliveira Pedroso, 18, acabou sendo morta.

Em um vídeo divulgado na internet pelo site da 94FM de Dourados, Maria afirmou que o genro é uma pessoa muito perigosa e resolveu matá-lo, pois senti muito medo dele. Ela ainda relatou que Felipe a estuprou e também uma menina que morava com ela, além tentar abusar da filha de Maria, 14 anos.

Ela comentou que não era para o crime ser cometido dentro da casa, era para o levarem para fora e assim o executarem, mas não saiu como o planejado. Maria ainda contou que tinha medo de que matassem a filha e a neta, mas mesmo assim encomendou a morte do genro. “Eu sei errei. Estou péssima”, comentou.

Caso - O crime ocorreu na madrugada de ontem (29), em Dourados, a 233 quilômetros de Campo Grande. O marido da vítima, Felipe Leonardo Corrêa, 22, foi baleado no peito e encaminhado para o hospital.

Maria e o marido dela, Jesser Araújo dos Santos, 40, foram presos na tarde de ontem. O filho de Maria de 17 anos e um adolescente de 16 anos apreendidos. Eles confessaram participação no atentado.

Segundo a Polícia, Maria teria tramado a morte de Felipe. À Polícia, ela confessou que pediu para o companheiro Jesser e os menores executarem o plano de matar o genro.

O plano, segundo a mandante, era para os executores tirarem Felipe de dentro da casa e matá-lo do lado de fora. No entanto, acabaram matando sua filha por engano. Os quatro suspeitos foram autuados em flagrante acusados de homicídio e tentativa de homicídio.

Karine deixou uma filha de nove meses.

Veja o vídeo: