Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 22 de Maio de 2022

Sidrolândia

Acusado da morte de adolescente vai ser julgado pelo júri e namorado foi absolvido

Ele é acusado de ter matado com um tiro a queima-roupa, Pamela Silveira Saturnino, uma adolescente de 17 anos.

Redação/Região News

23 de Janeiro de 2022 - 21:38

Acusado da morte de adolescente vai ser julgado pelo júri e namorado foi absolvido
Fórum de Sidrolândia. Foto: Arquivo RN

A juíza Silvia Tedardi da Silva emitiu sentença de pronúncia, acolhendo denuncia do Ministério Público, determinando que seja levado ao Tribunal do Júri, Emerson Rebello Ferreira, de 24 anos, que continuará preso até o julgamento. Ele é acusado de ter matado com um tiro a queima-roupa, Pamela Silveira Saturnino, uma adolescente de 17 anos. O crime aconteceu na madrugada do dia 14 de fevereiro do ano passado.

Pesaram contra o acusado, provas testemunhais e o exame do laudo necroscópico. O exame residuográfico apontou que os "materiais colhidos da mão direita de Emerson apresentaram vestígios compatíveis com fragmentos de chumbo". Ou seja, evidência de que fez disparos de arma de fogo.

O namorado da vítima, Marcos Henrique Sanches, que também atirou em Emerson e num comparsa dele, um adolescente, foi absolvido e colocado em liberdade. A juíza entendeu que o rapaz agiu em legítima defesa, "utilizou-se dos meios necessários moderadamente, pois as vitimas também estavam com arma de fogo e efetuaram disparos; agiu para garantir sua integridade física", destaca a magistrada.

Tiroteio

Pâmela morreu com um tiro na cabeça enquanto estava no veículo Gol que era conduzido por Marcos Henrique Sanches Echeverria, de 22 anos, na Avenida Dorvalino dos Santos. A suspeita inicial da polícia é de que Marcos tinha uma "rixa" com o adolescente e Emerson, que também ficaram feridos na confusão. Marcos era namorado da vítima. Segundo o auto de prisão em flagrante, pela dinâmica apresentada anteriormente, Marcos teria sido o autor dos disparos que atingiram Emerson (no braço), e o adolescente (no pescoço).

Contudo, a Polícia Civil concluiu durante a investigação que um outro adolescente, de 17 anos, que até então era o principal suspeito da morte estava acobertando o verdadeiro culpado.

A farsa foi descoberta graças ao depoimento de uma amiga da vítima, que estava no banco de trás do veículo Gol onde Pamela foi executada. De acordo com a testemunha, Emerson estava debruçado sobre a janela do passageiro do veículo, se afastou e fez o disparo a queima roupa que matou a garota. Diante dos fatos, a Justiça determinou a prisão preventiva do acusado que foi encontrado na Rua Amazonas, em Sidrolândia.