Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 19 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Acusado de feminicídio, ex-sindicalista é julgado pelo Tribunal do Júri nesta segunda-feira

Ex-sindicalista Eder Clemente está sendo julgado nesta segunda-feira pelo Tribunal do Júri. O casal estava na iminência de se separar.

Redação/Região News

17 de Fevereiro de 2020 - 13:40

O ex-sindicalista Eder Clemente está sendo julgado nesta segunda-feira pelo Tribunal do Júri no Fórum da Comarca de Sidrolândia. Em 26 de abril de 2019 ele matou a golpes de faca sua mulher Edmárcia Cintia da Silva, 33 anos. O casal estava na iminência de se separar e Eder não aceitava pôr fim ao relacionamento. O julgamento começou por volta das 8 horas da manhã, foi interrompido para o almoço e será retomado por volta das 14 horas.

Familiares, representantes de instituições de combate a violência contra a mulher, colocaram faixas em frente do fórum, com frase em que cobram justiça. Edmárcia foi morta na frente das filhas, uma menina de 5 e outra de 11 anos. As crianças ao presenciarem o padrasto atacar a mãe a golpes de faca, começaram a gritar por socorro.

Horas depois de cometer o crime, Eder se apresentou à Polícia, teve a prisão preventiva decretada e desde então está recolhido numa das celas da Penitenciária de Segurança Máxima em Campo Grande. O advogado de defesa apresentou laudo do psiquiatra Rodrigo Habendi, em que tenta demonstrar a insanidade mental de Eder que ao cometer o crime teria tido um surto psicótico e portanto não teria consciência de que fez.

Advogado de defesa, durante julgamento nesta segunda-feira. Foto: Marcos Tomé/Região News

Conforme relatos de vizinhos do casal no Condomínio Parque dos Ipês, ao receber o primeiro golpe, Edmárcia ainda reuniu forças, abriu a porta dos fundos para as filhas fugirem da fúria do marido, que a puxou pelos cabelos para dentro de casa e só parou quando ela caiu inconsciente, fatalmente ferida e o cabo da faca quebrou, quando a lâmina ficou cravada no corpo da mulher.