Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 20 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Agesul vai entregar acesso estreito e sem travessia sobre nascente’, alerta empresário

A falta deste acesso tem emperrado a expansão da indústria que tem uma sala de desossa pronta.

Flávio Paes/Região News

19 de Junho de 2020 - 15:02

Até a próxima quarta-feira a Agesul (Agência Estadual de Empreendimento) deve concluir a implantação do acesso do Frigorífico Balbinos, projeto que se arrasta há 5 anos, iniciado em março, mas por conta da pandemia do coronavírus e do período chuvoso, só teve 40 dias de serviço. Foi mobilizada uma equipe reduzida, com apenas dois caminhões basculantes antigos.

A rua de 5,2 km, das margens da MS-162 até o pátio do frigorífico no Jardim Paraíso, aberta pelas equipes da Agesul, ao invés de duas pistas e ciclovia, como a avenida foi planejada em 2015, tem 7 metros de largura (a mesma dimensão de uma via residencial do Bairro São Bento) e não foi feita a travessia sobre a nascente do Córrego Água Azul.

Os engenheiros recomendam a colocação de dois tubos de 1 metro de diâmetro, com a construção de estruturas de concreto (sapatas) nas bases, para evitar que água da chuva não arraste o aterro. O cascalhamento parou perto das duas margens da nascente. O cascalho ficará amontoado para a Prefeitura espalhar quando fizer o bueiro.

Ao avaliar o resultado do trabalho da Agesul, o empresário Mário Fedes, do Frigorífico Balbinos, não gostou do que viu. Pra começar, segundo o empresário, a largura da pista, 7 metros, é inadequada para uma rua que receberá carretas, caminhões frigoríficos. Os motoristas destas caretas terão dificuldades para manobrar quando vierem para o frigorifico pela MS-162.

A falta deste acesso tem emperrado a expansão da indústria que tem uma sala de desossa pronta. A estrutura garantiria mais 300 empregos diretos, além de abrir o mercado externo.

Confira a Galeria de Imagens: