Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 29 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Ano letivo é retomado, sem alunos na escola, para professores elaborarem atividades

O calendário, independente de quando voltam as aulas presenciais, prevê o término do ano letivo no dia 17 de dezembro.

Flávio Paes/Região News

19 de Maio de 2020 - 10:27

Ano letivo é retomado, sem alunos na escola, para professores elaborarem atividades

Com as aulas presenciais suspensas até 30 de junho, o ano letivo de 2020 foi retomado nesta terça-feira nas escolas públicas. Enquanto os alunos da rede estadual têm acesso a aulas online, já até fizeram provas e tem a nota do 1º bimestre, os do município, que só tiveram 18 dias de aulas presenciais, aqueles cujos pais foram nas escolas, só tiveram uma bateria de atividades. Em algumas escolas, até 20% dos pais simplesmente não foram pegar as atividades. O conselho de classe dos professores, para avaliação do desempenho das crianças, será dia 6 de junho.

Desde a semana passada os professores foram comunicados que deveriam voltar à escola nesta terça-feira. No caso da Escola Pedro Aleixo, especificamente, eles terão de ir uma vez por semana para elaborar as atividades que devem ser postadas nos grupos de estudo de WhatsApp. Para aqueles alunos que não tem internet, a escola fornecerá cópias das atividades, uma lauda por disciplina.

O calendário divulgado pela Secretaria de Educação, independente de quando voltam as aulas presenciais, prevê o término do ano letivo no dia 17 de dezembro. No Estado, o conteúdo terá auxílio principal da plataforma Google Suite para o ensino à distância e as aulas pela televisão serão, principalmente, para os estudantes que não têm acesso à internet.

Mas como ainda não foi informada a data para o início da transmissão pela MS Record, os alunos que não tem internet ou impressora, poderão retirar as atividades previstas na própria escola em que estudam.

Aas aulas pela TV foram produzidas pela Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) e serão destinadas a todas as fases escolares, da Educação Infantil, anos iniciais e finais do Fundamental e Ensino Médio.

De acordo com o superintendente de Informação e Tecnologia da educação, Paulo Cézar Rodrigues dos Santos, como as aulas vão abranger todas as etapas de ensino, ele acredita que irá beneficiar não apenas os alunos da rede estadual, mas também das municipais e até da privada.

“A grade é extremamente importante, com conteúdo preparado por parceiros, que são professores”, destacou, informando que a reprodução por TV, bem como as ferramentas online e na própria escola “busca dar equidade de acesso aos estudantes por todos esses canais”.

Posteriormente, a secretaria cogita gravar aulas com os professores da própria rede e durante a live, convidar os profissionais que se sentem aptos a isso, a procurarem a secretaria.

Sobre a razão da rede de televisão estadual, a TVE, não ter sido escolhida para transmitir as aulas, a secretária Maria Cecília Amêndola da Motta, informou que o alcance da TV estatal é limitado. “Estamos tentando alcançar o maior número de alunos possível e a TVE não alcança. Nosso objetivo de alcançar a todos e a empresa que ganhou chega em todos ou quase todos”, sustentou.

Ainda sobre as aulas pela televisão, foi informado na live que serão horários definidos na programação da emissora, mas haverá repetição do conteúdo, bem como, este será disponibilizado no canal do Youtube da Secretaria de Educação.