Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Novembro de 2020

Sidrolândia

Apesar da seca no inverno, assentado inicia colheita de 3 mil frutas de melancia

Flávio Paes/Região News

25 de Outubro de 2020 - 21:17

Valdecir há 5 anos começou a plantar melancia. Foto: Divulgação

O assentado Valdecir Souza, começou nesta semana uma rotina que segue nesta época do ano desde que há 5 anos começou a plantar melancia numa área de 1 hectare do lote no Assentamento Santa Terezinha.

O trabalho é pesado, deve durar no máximo um mês, mas vale a pena já que garante uma boa lucratividade para ele e os pais que moram na propriedade de 15 hectares, da qual tomaram posse há 18 anos, após 5 anos de acampamento da família, os pais, ele (então um adolescente de 15 anos) o mais velho de 4 irmãos.

Hoje aos 38 anos, Valdecir é o responsável por tocar a propriedade, onde além da melancia, cultiva abacaxi, tem algumas cabeças de gado, produção de mel e tanques de piscicultura. Por causa da seca, embora a lavoura seja irrigada no sistema de gotejamento, a produção deste ano será menor que a de 2019, quando colheu 4 mil frutos, que pesaram entre 18 e 20 kg. Sua expectativa é colher agora 3 mil frutos, com 12 a 15 kg. Para escapar dos atravessadores, parte da produção ele traz na sua Saveiro para a cidade, onde vende nas feiras e supermercados.

A lavoura de melancia, que tem um ciclo de três meses de produção, além da irrigação, exige a correção do solo (com calcário) e adubação com NPK, insumos fundamentais para garantir frutos de qualidade. Poderia triplicar o faturamento, com três safras anuais, mas tem como limitantes, a dificuldade logística para levar a produção até o Ceasa em Campo Grande e o fato de não ter implementos agrícolas, depende do equipamento da Associação de Produtores, que é usado de forma coletiva pelas 64 famílias do assentamento.

Confira a Galeria de Imagens: