Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Sidrolândia

Após 10 meses de paralisação, obra da Hugo Yule será retomada nesta semana

A obra, iniciada em agosto de 2021, está parada desde novembro, quando a drenagem tinha sido concluída e a terraplanagem iniciada.

Flávio Paes/RN

25 de Julho de 2021 - 20:33

Após 10 meses de paralisação, obra da Hugo Yule será retomada nesta semana
Rua Hugo Yule no Residencial Morada da Serra. Foto: Internauta/RN

Com quase 70% do recurso disponível desde o mês passado, será retomada nesta semana a pavimentação da Rua Hugo Yule, um dos acessos ao Residencial Morada da Serra. A obra, iniciada em agosto de 2021, está parada desde novembro, quando a drenagem tinha sido concluída e a terraplanagem iniciada. Desde janeiro, quando a assumiu o cargo, a prefeita Vanda Camilo e os técnicos da Prefeitura estiveram várias vezes na Caixa Econômica Federal para destravar pendências burocráticos para o pagamento dos serviços já executados pela empreiteira.

Na sexta-feira foi definido o cronograma de retomada do serviço.

O trabalho começa pela topografia antes de ser refeita a terraplanagem, seguindo-se a base, imprimação e lançamento da capa asfáltica. Segundo a prefeita a obra deve ser concluída em até 60 dias. Mês passado a Caixa liberou quase R$ 700 mil (R$ 699.431,56), o suficiente para o pagamento das medições em atraso (R$ 69 mil) e a quase concluir a obra. A prefeitura terá de absorver o aumento de custo, com uma contrapartida maior.

Com a pandemia, alguns preços dos materiais de construção triplicaram.

A pavimentação da Rua Hugo Yule foi licitada em abril e a ordem de serviço foi assinada em agosto do ano passado. Está programada a execução de 6.349,59 m² de asfalto (aproximadamente 705 metros de extensão), desde a Rua Ponta Porã até o final na confluência com a Rua Projetada 2. A obra é aguardada há mais de 8 anos e foi viabilizada com recursos federais alocados por emendas parlamentares do ex-senador Waldemir Moka e do ex-deputado federal Luiz Henrique Mandetta, que encerraram seus mandatos em 2018.

A C.S Engenharia e Construtora, uma microempresa com sede em Santa Helena, no interior do Paraná, venceu a licitação com a proposta que reduziu em 10,27% (R$ 120.863,78), o orçamento da obra que ficou em R$ 1.055.918,79 (quando o preço de referência era R$ 1.176.782,57).