Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 18 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Assentado do Eldorado II de 67 anos, 1ª vítima fatal da dengue em Sidrolândia

Embora o número de notificações da dengue no primeiro trimestre de 2020, seja 54% menor que o de igual período de 2019, Sidrolândia registrou a primeira morte causada por dengue este ano.

Flávio Paes/Região News

01 de Abril de 2020 - 17:49

Embora o número de notificações da dengue no primeiro trimestre de 2020, seja 54% menor que o de igual período de 2019, Sidrolândia registrou a primeira morte causada por dengue este ano. Conforme boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, a vítima tinha 67 anos, morador no Assentamento Eldorado II e morreu no último dia 19 de março após 16 dias de internação no Hospital Regional de Campo Grande.

As mortes este ano foram registradas em 15 municípios: Corumbá, Sete Quedas, Campo Grande, Cassilândia, Pedro Gomes, Nova Andradina, Caarapó, São Gabriel do Oeste, Bodoquena, Chapadão do Sul, Mundo Novo, Dourados, Aquidauana, Sidrolândia e Paranaíba. Na Capital, quatro pessoas morreram com a doença transmitida pelo mosquito.

O índice de letalidade deste trimestre corresponde a 72% de todo o ano de 2019, quando a doença matou 29 pessoas, num período em que foram feitas 80.567 notificações de pacientes com sintoma de dengue e 52.605 casos confirmados por exame clínico ou laboratorial. No primeiro trimestre de 2020, o Estado já registrou 40.125 notificações, com 15.084 diagnósticos confirmados.

No caso específico de Sidrolândia, no primeiro trimestre deste ano já foram registradas 404 notificações (com 91 diagnósticos positivos). Uma redução de 54% em relação a igual período de 2019, que teve 890 notificações. Em 12 dias, foram 77 notificações, média de 6,4 casos por dia.

Projetada esta evolução até dezembro, se atingirá 1.940 casos ao longo de 2020, superando as 1.750 notificações de 2019, com 639 diagnósticos confirmados.
A cidade está hoje na 59ª posição no ranking estadual, com alta incidência (na frente de Campo Grande, a 60ª colocada), com 841,2 casos para cada grupo de 100 mil habitantes, enquanto a Capital, está com 840,4 casos.