Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 19 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Casados na quarentena, gravidez veio de surpresa ainda na lua de mel

Nascidos e criados em Sidrolândia, Camila Helmann Bonfim Macarini tem 26 anos é arquiteta e André Luiz Silveira Macarini, tem 25 e é funcionário público.

Campo Grande News

08 de Junho de 2020 - 08:19

Casados na quarentena, gravidez veio de surpresa ainda na lua de mel

Eles se conhecem desde o prezinho, mas só se tornaram amigos mesmo em 2012, para depois começarem a namorar em 2016 e se casar quatro anos depois, exatamente na data mais significativa. O casamento de Camila e André estava marcado para acontecer com uma festa e convidados no dia 25 de abril. A pandemia mudou os planos, diminuiu o evento e ainda trouxe de surpresa um bebê.

Nascidos e criados em Sidrolândia, Camila Helmann Bonfim Macarini tem 26 anos é arquiteta e André Luiz Silveira Macarini, tem 25 e é funcionário público. Na imagem que abre a matéria, os dois estavam no altar, recebendo o sacramento, e tendo como testemunha apenas os pais e irmãos de cada um deles.

O casamento foi em Sidrolândia e a comemoração se resumiu em um jantar na casa do irmão de André, reunindo apenas os familiares.

Foi durante a primeira prova do vestido em Campo Grande, que a noiva ouviu das funcionárias a indagação do que ela faria diante do cancelamento de grandes eventos por conta da pandemia. "Como em Sidrolândia estava diferente, a gente ficou meio perdido, porque para nós o importante era o sacramento do casamento, e a gente queria muito aquela data por ser significativa para a gente", conta a arquiteta.

Depois de terem estudado juntos, inclusive com a mãe de André como professora no pré, cada um seguiu seu rumo e eles só vieram a se reencontrar num retiro do Decolores, da Igreja Católica. "A gente foi criando uma amizade e em 25 de abril de 2016 foi quando ficamos pela primeira vez. Consideramos também a data como início do namoro, porque foi muito natural, começamos a ficar juntos e nunca terminamos", recorda Camila.

Eles ficaram noivos em 25 de abril de 2019 e já vinham planejando o casamento há 1 ano. O "sim" e a benção de Deus seria na igreja de Sidrolândia, e a festa também, com 200 convidados.

"Nosso casamento era para ter sido simples, mas com todas as pessoas que a gente ama e que sempre estiveram na nossa vida", comenta. Foi o pai dela quem deu a sugestão de fazer uma cerimônia só com a família para no ano que vem comemorar as bodas de 1 ano com uma festa.

"E foi assim que a gente resolveu mudar tudo, mandei fazer um vestido mais simples, a igreja não teve decoração e não tinha ninguém além dos nossos familiares, só um casal de amigos do meu pai que são muito importantes na minha vida".

Às vésperas do "sim", a sensação era de frustração, de uma noiva que cruzaria a igreja ao lado dos pais sem convidados. "Eu fiquei super triste, pensava que ia ver a igreja vazia, que não seria o grupo de músicos que a gente escolheu para tocar... Mas na hora que eu estava entrando, não vi nada, só meu noivo ali na frente esperando para a gente casar. Aquilo é o momento que a gente mais queria e o mais importante. A pandemia fez a gente perceber que o que realmente importava era nós dois estarmos realizando o nosso sonho de uma forma um pouco diferente, mas que era válida igual, porque era um momento nosso", reflete.

A lua de mel que estava prevista para ser na Bahia foi adiada, e o casal resolveu passar três dias em um hotel na Capital, onde possivelmente aconteceu a concepção. "A gente sempre falou que íamos ser muito abertos a vida, e quando Deus mandasse um filho, a gente aceitaria, mas não estava nos nossos planos engravidar no primeiro mês de casado. Foi um susto enorme", descreve a noiva.

O mês que eles cogitavam engravidar, janeiro de 2021, será o período em que o bebê está previsto de chegar.

Na data da entrevista, Camila estava com pouco mais de 6 semanas e contou como foi que desconfiou. "Minha menstruação não atrasa, mas estava atrasada há três dias. Pensei de fazer um teste e deu positivo. Contei para uma amiga que me levou para fazer o exame de sangue no laboratório".

No mesmo dia o resultado saiu e Camila e André abriram juntos quando ele foi buscá-la no trabalho. "E estava lá o positivo. A gente quase caiu para trás. Já fizemos ultrassom, ouvimos o coraçãozinho e tudo", comemora.

Por incrível que pareça, a data prevista para o nascimento é "25" de janeiro do ano que vem. A pandemia, com todas as suas tristezas e despedidas, tem mostrado ao casal a vida através de uma nova perspectiva. "A gente ter se casado mesmo durante a pandemia, ter engravidado no primeiro mês faz a gente ter um pouco mais de esperança. Uma coisa que aprendemos é que não adianta se prender tanto aos nossos planos. A pandemia fez a gente dar um passo atrás e enxergar as coisas de outra maneira, não é porque não saiu do jeito que a gente esperava que isso seja uma coisa ruim. A gente vai poder comemorar no ano que vem", espera Camila. E quem sabe fazendo junto o primeiro aninho do bebê.