Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 2 de Dezembro de 2020

Sidrolândia

Coligação de Enelvo elege 8 vereadores e faz maioria na composição da futura Câmara

Os partidos que o apoiaram o tucano elegeram 8 dos 15 vereadores.

Flávio Paes/Região News

15 de Novembro de 2020 - 23:53

Embora Enelvo Felini tenha sido derrotado nas urnas por Daltro Fiúza, por uma diferença de 1.589 votos na disputa pela Prefeitura, os partidos que o apoiaram o tucano elegeram 8 dos 15 vereadores. Se atuarem de forma articulada, garantem maioria para a eleger o futuro presidente da Câmara, que pode vir a ser o prefeito interino de Sidrolândia a partir de 1º de janeiro, até o Tribunal Superior Eleitoral julgar o recurso de Fiúza, que recorreu ao TSE após ter o registro da candidatura indeferido pelo TRE/MS.

Não conseguiram renovar mandato os vereadores Valdecir Carnevalli, o “Ganso” (que obteve 380 votos) e Geosafá da Silva (que garantiu 372 sufrágios). Dois tucanos vão estrear no Legislativo sidrolandense, o empresário Ademir Gabardo, que foi o segundo mais votado (593) e Enelvo Felini Junior, filho do candidato a prefeito que obteve das urnas, 479 votos. O PP também elegeu três vereadores; Vanda Camilo, obteve a maior votação, 689 votos.

O PSDB, partido de Enelvo, só reelegeu um dos seus atuais vereadores, o presidente da Câmara, Carlos Henrique'.

A irmã do deputado estadual, Gerson Claro, professora Juscinei Claro (529) e reelegeu o vereador Cledinaldo Cotócio (566). Não conseguiram se manter no Legislativo, os vereadores Otacir Figueiredo e Juscelino Pereira. Os atuais vereadores do MDB, Jonas dos Santos e Carlos Tadeu, também não se reelegeram.

Os emedebistas serão substituídos por Cristina Fiúza (462), filha de Daltro Fiúza e por Adavilton Brandão (350), que atua como vice-presidente de uma associação de apoio as pessoas com deficiência - SUPERA. O PSB, do candidato a vice-prefeito na chapa de Daltro, Nélio Paim, também saiu fortalecido do pleito com três vereadores eleitos.

Com a 5ª maior votação, a ex-secretária de Assistência Social, Joana Michalski (527), conquistou uma vaga no Legislativo e ao lado do técnico agrícola, Cleyton Martins (378) e do sindicalista, Elieu Vaz (329), integrarão a futura bancada socialista. O PSD, partido do prefeito Marcelo Ascoli, que não disputou a reeleição, garantiu uma vaga, com o ex-secretário de Esporte, Sandro Luiz Gonzalez (337).

O Patriota, partido do candidato a prefeito Moacyr Almeida, não reelegeu o vereador Celso Pereira, mas manterá a representação, com a eleição de Izaqueu de Souza, o Gabriel da Auto Car, que obteve 378 votos. O Rede, que integrou a coligação do PSDB terá um representante, Gilson Galdino (347), irmão do ex-vereador e secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Antônio Galdino.