Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 25 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Com aposentadoria de tenente-coronel, PM terá comandante interino até fevereiro

O oficial deve deixar suas funções ainda neste mês e será substituído interinamente, pelo tenente Gabriel Oliveira.

Flávio Paes/Região News

18 de Dezembro de 2019 - 09:02

Com aposentadoria de tenente-coronel, PM terá comandante interino até fevereiro

Após um ano e 8 meses no cargo, o tenente-coronel Erivaldo José Duarte Alves, vai deixar o comando da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar de Sidrolândia. Ao completar 30 anos de serviço, protocolou pedido de aposentadoria e até o mês de fevereiro vai para a reserva remunerada. O oficial deve deixar suas funções ainda neste mês e será substituído interinamente, até a designação do novo comandante, pelo tenente Gabriel Oliveira Martins, designado em setembro para atuar na cidade.

Logo após a prisão de uma guarnição em setembro, acusada de cobrar propina de contrabandistas e de se apropriar de mercadorias apreendidas, o comandante entrou de férias e neste período encaminhou o processo de aposentadoria, se antecipando as mudanças nas regras da Previdência, que entram em vigor ano que vem.

Em entrevista ao radialista Mauro Silva, o tenente Erivaldo diz que mesmo com efetivo reduzido, neste período em que permaneceu na cidade, conseguiu bons resultados no combate ao tráfico de drogas, com o fechamento de inúmeras bocas de fumo, apreendeu muitos carregamentos de drogas, cigarro e produtos contrabandeados.

O trabalho ficou muito prejudicado, segundo o oficial, desde setembro, quando foram presos os 5 policiais que integravam uma guarnição muito ativa no combate ao contrabando e tráfico de drogas. Não houve reposição do efetivo e com isto, de segunda a quarta-feira o policiamento ostensivo passou a ser feito por apenas uma viatura.

“Como Companhia Independente, nossa unidade deveria ter 100 policiais. Hoje só dispomos de 23, mas com as licenças e férias, pessoal destacado para o administrativo, ficam só 16 policiais para o trabalho de rua”, avalia. Na avaliação de Erivaldo, a classe política sidrolandense deve se mobilizar para cobrar do Governo do Estado, que pelo menos 40 policiais do grupo aprovado no último concurso, sejam designados para Sidrolândia.