Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 17 de Setembro de 2021

Sidrolândia

Com número de casos em queda, Sidrolândia não vai adotar lockdown

A situação atual é bem diferente da de março teve um pico de contaminação (média superior a 75 casos por dia, foram 56 óbitos).

Flávio Paes/Região News

11 de Junho de 2021 - 08:18

Com número de casos em queda, Sidrolândia não vai adotar lockdown
Prefeitura não planeja adotar de imediato um lockdown conforme preconiza a Secretaria Estadual de Saúde. Foto: Arquivo/RN

Com base nos dados epidemiológicos da Secretaria Municipal de Saúde, a prefeita de Sidrolândia, Vanda Camilo, não planeja adotar de imediato um lockdown conforme preconiza a Secretaria Estadual de Saúde que reclassificou a cidade da bandeira vermelha para a cinza o status mais grave para o risco de transmissão do novo coronavírus.

A prefeita, a exemplo do seu colega da capital, Marquinhos Trad, quer mais um tempo para avaliar a evolução dos casos, para isto tomar uma medida mais radical o do fechamento do comércio, que ficaria limitado ao esquema de delivery. Desde o início da pandemia, em março do ano passado, a cidade tem aplicado medidas mais restritivas, que só duraram uma semana.

Nem os próprios técnicos do controle epidemiológico da Secretaria de Saúde entenderam os critérios do Estado para reclassificar Sidrolândia. Nos primeiros 10 dias de junho, a média diária de casos está em 30,2, parecida com a de maio (26,67), abaixo da de abril (35,6), quando estava na bandeira laranja, nível médio de risco de contaminação.

A situação atual é bem diferente da de março teve um pico de contaminação (média superior a 75 casos por dia, foram 56 óbitos), o que forçou a suspensão do pleito marcado para o dia 11 daquele mês. O Hospital Elmiria Silvério Barbosa chegou a ter 49 pacientes internados, hoje tem 13, nem todos da cidade.

No acumulado do mês só 10 internações. A única morte registrada até aqui neste mês foi do empresário Moacyr Almeida, que faleceu após 89 dias de tratamento em Campo Grande e São Paulo.

Outro indicador positivo para o controle da doença é o avanço da vacinação que atingiu mais de 80% da população indígena e dos idosos. O imunizante já está sendo levado a quem tem mais de 40 anos. Em princípio deve ser respeitado o toque de recolher a partir das 20 horas. A cidade está na macrorregião de Campo Grande, que está com leitos hospitalares superlotados.

Com número de casos em queda, Sidrolândia não vai adotar lockdown
Com número de casos em queda, Sidrolândia não vai adotar lockdown