Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Fevereiro de 2024

Sidrolândia

Começa a pavimentação do trecho Capão Seco/Anhanduí

Os moradores que esperavam pelo asfalto há muitos anos, vivem a realização de um sonho antigo.

Redação/Região News

16 de Novembro de 2022 - 14:51

Começa a pavimentação do trecho Capão Seco/Anhanduí
Conforme a (Agesul), 1,5 quilômetro da obra já tem asfalto e os moradores precisam adotar alguns cuidados no trânsito. Foto: Divulgação.

A obra de pavimentação da MS-258 entre os distritos de Capão Seco (Sidrolândia) e Anhanduí (Campo Grande) avança com os primeiros quilômetros de asfalto no trecho que inicia no pequeno povoado à beira da rodovia. Os moradores que esperavam pelo asfalto há muitos anos, vivem a realização de um sonho antigo.

O trecho inicial da MS-258 que ganhou asfalto corresponde à rotatória que foi instalada no entroncamento com a MS-455. Conforme a Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), 1,5 quilômetro da obra já tem asfalto e os moradores precisam adotar alguns cuidados no trânsito até que seja iniciada a parte de sinalização. Ao longo dos 21,817 quilômetros da obra, as equipes trabalham na execução de terraplanagem, sub-base e base.

Primeira questão de imediato é acabar com a poeira, que entra dentro dos estabelecimentos, em todo este trecho sem asfalto. Também vai aumentar o movimento e nossas vendas, melhorando em 200% a situação do comércio”. ressaltou Ronaldo Bernardo.

Os comerciantes do distrito de Capão Seco, estão animados com a chegada do asfalto que começa a ser feito após 10 mês do início das obras.  “Primeira questão de imediato é acabar com a poeira, que entra dentro dos estabelecimentos, em todo este trecho sem asfalto. Também vai aumentar o movimento e nossas vendas, melhorando em 200% a situação do comércio”, ressaltou o comerciante Ronaldo Bernardo, de 40 anos. Ele tem um mercado em frente a rodovia.

Fernanda Fonseca, proprietária de uma loja de construção, destacou que quando a obra for concluída a expectativa é de ampliar as vendas e contar com um movimento maior em seu estabelecimento. “Quando terminar (obra) vai nos ajudar, pois o movimento vai crescer”. Ela mora há 10 anos no distrito.

Ivanilde Teixeira, que mora na beira da rodovia, espera ampliar o seu negócio. “Trabalho com venda de comida caseira e a expectativa é positiva para aumentar o movimento e dispor de melhores condições. O importante é que o local tenha boa sinalização, para evitar acidentes”.