Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 18 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Desafio low carb ganha adeptos e vira alternativa para emagrecimento em Sidrolândia

O desafio de confraternização encerrado no sábado (23), contou com 47 participantes, divididos em duas categorias feminino e masculino.

Crislaine Jara/Região News

26 de Novembro de 2019 - 15:54

Desafio low carb ganha adeptos e vira alternativa para emagrecimento em Sidrolândia

Ajudar as pessoas a fazerem escolhas inteligentes na hora da refeição foi o que estimulou a nutricionista Denise Petró a criar o Desafio Low Carb, no qual desenvolve a dieta que tem como principal objetivo diminuir a quantidade de carboidratos na alimentação. O desafio que está na sua 11ª edição está cada vez mais ganhando adeptos e tem um prazo de 15 dias.

O hábito alimentar tem se mostrado uma alternativa eficaz. O método elimina a necessidade de se cortar radicalmente alguns alimentos. Para 2020, a nutricionista pretende acrescentar além do acompanhamento nutricional, atividades físicas.

O desafio de confraternização encerrado no sábado (23), contou com 47 participantes, divididos em duas categorias, feminino e masculino. “Geralmente as turmas são dividas de 10 a 15 participantes, tive a ideia de fazer o desafio de confraternização de final de ano, sem limites de vagas e a procura foi grande”, comenta Denise. O encerramento contou com entrega de brindes. Entre os prêmios, uma televisão 32’ e uma cesta.

Para o campeão do desafio na categoria masculina, Everton Magno Moulard, 45 anos a parte difícil é a mudança na alimentação. “A parte mais difícil, foi a mudança na alimentação, incluir alimentos saudáveis. Eu segui todas as dicas, as recomendações e funciona”, comenta. Everton perdeu 2,900 em 15 dias.

Na categoria feminina, a ganhadora foi Patriciani Paiva, 32 anos que conseguiu perder 7kg. Ela levou para casa a tv de 32 polegadas. Para ela, o desafio foi difícil, mas valeu a pena. “No começo não foi fácil, a primeira semana foi muito difícil, por estamos acostumados a má alimentação e quando se propõe a mudança se torna mais complicado”, comenta.