Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 28 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Engenheiro da Agesul se reúne com o prefeito e avalia projeto do acesso ao frigorífico

Em agosto a Prefeitura encaminhou um projeto de engenharia e a planilha de custo para implantação do acesso.

Flávio Paes/Região News

06 de Dezembro de 2019 - 10:05

Um engenheiro da Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) estará na cidade nesta sexta-feira para avaliar in loco que tipo de intervenção será necessário para abertura do acesso ao Frigorífico Balbino, via de 4,5 km entre a MS-162 e o portão de acesso ao pátio da indústria no Jardim Paraíso. As 14 horas se reúne com o prefeito Marcelo Ascoli e vai fazer uma visita na área planejada para ser o traçado da estrada.

Em agosto a Prefeitura encaminhou um projeto de engenharia e a planilha de custo para implantação do acesso. Numa análise preliminar os técnicos da Agesul identificaram algumas inconsistências nas planilhas (em relação a quantitativos de material). Só a partir desta visita de hoje é que se definirá os próximos passos.

Se abertura da rua depender apenas de patrolamento e cascalhamento, o serviço poderá ser feito por administração direta, sem necessidade de licitação. Também será necessário que haja no município, material disponível (em jazida licenciada) para revestimento.

O projeto elaborado pelo setor de Departamento da Planejamento, encaminhado à Agesul, a partir de solicitação do deputado Gerson Claro, projetou o custo da obra em R$ 833.835,83.

Este projeto do acesso (o terceiro apresentado pela Prefeitura) teve seu custo encarecido em aproximadamente R$ 200 mil, por culpa do próprio Governo do Estado. Apesar das advertências do município, na duplicação da MS-162 foi construído um bueiro e um dissipador de energia (uma espécie de escada por onde passa a enxurrada) que joga toda a água da chuva no traçado planejado para o acesso.

Será preciso construir outro dissipador, um vertedouro e abrir uma bacia de detenção para a futura pista não ficar alagada. Haverá grande movimentação de terra, porque o acesso de 4,5 km está abaixo do nível da rodovia.