Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 2 de Dezembro de 2021

Sidrolândia

Entrega de títulos adiada para dia 6 e terá a presença da ministra Teresa Cristina

O anúncio foi feito pela prefeita Vanda Camilo (PP) que confirmou para às 9 horas o início do evento.

Redação/Região News

27 de Outubro de 2021 - 10:32

Entrega de títulos adiada para dia 6 e terá a presença da ministra Teresa Cristina
Prefeita Vanda Camilo e ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Foto: Divulgação

A entrega dos 299 títulos de propriedade para assentados do núcleo Eldorado 2 foi adiada de sexta-feira, 5 de novembro, para sábado, dia 6, com a participação da ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

O anúncio foi feito pela prefeita Vanda Camilo (PP) que confirmou para às 9 horas o início do evento. "A gestão tem atuado em parceria com o Incra e a ministra para atender este anseio do agricultor familiar sidrolandense, de passar a ser de fato e de direito proprietário do seu lote”, comenta a prefeita.

Entre os contemplados com o título no próximo dia 6, está dona de Marli Antônia da Silva, 61 anos, que está no lote de 11,6 hectares desde dezembro de 2006 quando o Incra fez o sorteio das 777 parcelas que compõem o Eldorado 2.

Para chegar à situação em que se encontra hoje, com casa, dispondo de água, luz, um carro para ela e a família se deslocarem teve uma caminhada de muitas dificuldades, desconforto e até falta do básico para se alimentar, quando a cesta básica fornecida pelo Governo atrasava. "Hoje estou realizada e feliz. Tenho uma plantação de 60 mil pés de abacaxi que garante o sustento da minha família. Pra quem só tinha uma bicicleta tá bom de mais. Não vendo meu lote por dinheiro nenhum do mundo", comenta.

Dona Marli ficou seis anos acampada em frente da estação Guavira. Após a compra da Fazenda Eldorado pelo Incra, ficou mais um ano e meio acampada na sede da propriedade. Tinha dificuldade para vir a cidade fazer compras. Pra tomar banho era preciso se deslocar até a lagoa, de onde também era retirada a água para o consumo.

Mesmo após o sorteio do lote a situação não melhorou. Por seis anos morou num barraco por causa da demora na entrega do material. O desafio seguinte foi superar a falta d'água já que o projeto da rede não deu certo. Enquanto isto era preciso trazer em latões a água necessária.

A Prefeitura tem atuado de forma articulada com o Incra para atender os assentados. Coordenou a força-tarefa que fez o cadastramento ou renovou o cadastro das famílias no CadÚnico, além de colher a documentação para a liberação do Fomento Mulher que vai garantir as assentadas R$ 5 mil para as agricultoras desenvolverem projetos de inclusão produtiva.

Há expectativa é a liberação de R$ 5 milhões em crédito. Também houve um esforço conjunto para garantir a emissão de DAP (Declaração de Aptidão do Produtor), documento exigido para o assentado ter acesso às linhas de crédito do Pronaf.