Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 21 de Outubro de 2020

Sidrolândia

Estado promete abrir e asfaltar acesso ao projeto de suinocultura da Alfa

O Governo do Estado assumiu o compromisso de implantar e asfaltar o acesso ao projeto de suinocultura da Cooperativa Alfa.

Flávio Paes/Região News

29 de Setembro de 2020 - 10:04

O Governo do Estado assumiu o compromisso de implantar e asfaltar o acesso ao projeto de suinocultura da Cooperativa Agroindustrial Alfa, que vai implantar uma unidade produtora de leitões numa área de 323 hectares na saída para Maracaju. O acesso de 7 quilômetros começa na MS-162 (onde está prevista a construção de um trevo), atravessará os assentamentos Geraldo Garcia e Santa Lucia (3,9 km) e a Fazenda Horizonte (3,5 km) propriedade do ex-prefeito Ari Basso que doou a faixa de terra onde passará o trajeto.

O compromisso de abertura e pavimentação do acesso ao matrizeiro, que era inicialmente contrapartida da Prefeitura, foi assumido pelo secretário de Meio Ambiente, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que recebeu o presidente da Associação do Assentamento, Adevair Martins da Silva. A implantação da estrada já foi iniciada com abertura do trajeto dentro da fazenda Horizonte.

Segundo Adevair, em entrevista concedida ao RN por telefone, a abertura da estrada também vai beneficiar as 300 famílias dos dois assentamentos, que passarão a ter uma via de escoamento segura da produção. “Nas atuais condições, a estrada, além de ser estreito, no período de chuva não oferece condições de tráfego”, explica Adevair.

Nos dois assentamentos há produção de leite, hortigranjeiros, além da parte dos lotes que foram arrendadas para produção de soja e milho. Outro pleito da associação é que hajam cursos de capacitação para moradores da região trabalharem na unidade da suinocultura.

Diretores da Alfa, governador Reinaldo Azambuja durante reunião que contou com presença do produtor rural Lúcio Basso e Clédio Santiani, corretor imobiliário.

Investimento

A Cooperalfa planeja investir R$ 260 milhões nos próximos 10 anos no projeto de suinocultura em Sidrolândia. A unidade vai alojar inicialmente 5.160 matrizes para a produção diária, a partir de 2023, de 680 leitões que serão engordados até o ponto de abate no Frigorífico da Cooperativa Aurora em São Gabriel do Oeste, por 70 produtores integrados.

Além da abertura do acesso, o projeto demanda a perfuração de poços artesianos para garantir uma produção diária de 60 metros cúbicos por hora (o equivalente a quase 20% da água que abastece a população urbana de Sidrolândia); além de ser necessário executar 80 mil metros quadrados de terraplanagem na área reservada às instalações. Será preciso instalar uma rede de energia elétrica capaz de atender uma demanda de 300 mil Kwa/mês).

O Governo do Estado assumiu o compromisso de implantar e asfaltar o acesso ao projeto de suinocultura da Cooperativa Agroindustrial Alfa, que vai implantar uma unidade produtora de leitões numa área de 323 hectares na saída para Maracaju. O acesso de 7 quilômetros começa na MS-162 (onde está prevista a construção de um trevo), atravessará os assentamentos Geraldo Garcia e Santa Lucia (3,9 km) e a Fazenda Horizonte (3,5 km) propriedade do ex-prefeito Ari Basso que doou a faixa de terra onde passará o trajeto.

O compromisso de abertura e pavimentação do acesso ao matrizeiro, que era inicialmente contrapartida da Prefeitura, foi assumido pelo secretário de Meio Ambiente, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que recebeu o presidente da Associação do Assentamento, Adevair Martins da Silva. A implantação da estrada já foi iniciada com abertura do trajeto dentro da fazenda Horizonte.

Segundo Adevair, em entrevista concedida ao RN por telefone, a abertura da estrada também vai beneficiar as 300 famílias dos dois assentamentos, que passarão a ter uma via de escoamento segura da produção. “Nas atuais condições, a estrada, além de ser estreito, no período de chuva não oferece condições de tráfego”, explica Adevair.

Nos dois assentamentos há produção de leite, hortigranjeiros, além da parte dos lotes que foram arrendadas para produção de soja e milho. Outro pleito da associação é que hajam cursos de capacitação para moradores da região trabalharem na unidade da suinocultura.