Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 24 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Fila na Caixa para receber auxílio de R$ 600,00 começa 4 horas antes da agência abrir

Muitos, como o assentado Domingos Rodrigues Malaquias, 66 anos, saiu de madrugada de casa, no Assentamento Jibóia.

Flávio Paes/Região News

17 de Abril de 2020 - 11:24

Fila na Caixa para receber auxílio de R$ 600,00 começa 4 horas antes da agência abrir

Os beneficiários do auxílio emergencial de R$ 600,00 que o Governo Federal está pagando por causa da pandemia do coronavírus, começam a formar fila em frente da agência da Caixa Econômica Federal em Sidrolândia, por volta das 6 horas da manhã, 4 horas antes da agência abrir.

Muitos, como o assentado Domingos Rodrigues Malaquias, 66 anos, saiu de madrugada de casa, no Assentamento Jibóia, em busca de informações, na expectativa de que receberia alguma coisa, embora, em princípio, não se enquadre no perfil das pessoas contempladas.

“Não recebo bolsa família, nem estou no cadastro único, mas resolvi arriscar”, revela Domingos, ele e a mulher são aposentados, cada um ganha um salário mínimo, além de terem uma renda anual de R$ 7 mil com o arrendamento de 13 hectares para fazendeiros da região plantarem soja. Ele cria pequenos animais (galinha, porco), tem horta e comprou 5 vacas para produção leiteira.

Nesta sexta-feira, começaram a receber o auxílio emergencial quem se inscreveu por meio do aplicativo da Caixa ou pelo site. Ao todo, segundo o governo, mais de 9 milhões de pessoas que se inscreveram por esses meios estão aptas a receber — o que deve acontecer entre hoje e a próxima segunda-feira (20).

Fila para recebimento de benefício na Caixa Econômica Federal.

Os depósitos serão feitos nas poupanças digitais da Caixa abertas automaticamente na hora da inscrição, ou em uma conta que já existia, indicada pelo beneficiário. Quem não tem conta como o assentado, Isael Borges da Silva, esteve na Caixa Econômica Federal e pegou a senha para o ser atendido hoje, dia 17 de abril.

Aos 62 anos, ele tem um lote de 11,5 hectares no Eldorado, mas não conseguiu viabilizar alguma produção que lhe garantisse renda. Sobrevive das suas habilidades como técnico de refrigeração, conserta geladeiras e freezers na vizinhança. A esposa é professora da escola municipal. Só ficou sabendo que tinha direito, por intermédio da sua enteada, Regiane, que mora em Campo Grande e o cadastrou pela internet, como autônomo.

Ansioso para receber a primeira parcela dos R$ 600,00, já com a senha na mão, um dos primeiros da fila era o ex-assentado, Manoel Luiz Feitosa, morador na Agrovila do Jibóia, para onde se mudou após se separar da ex-esposa que ficou no lote. Sua intenção é usar o dinheiro (R$ 1.800,00, em três parcelas de R$ 600,00), para melhorar a casa onde mora.

Hoje sobrevive com a diária que faz na região fazendo serviços de limpeza de terrenos e perfuração de fossas, que lhe rende em média, R$ 70,00 por dia. Ainda sofre com sequelas de um acidente, quando, pilotando uma motocicleta, foi literalmente atropelado por um carro. Não há um número preciso de pessoas que receberão o auxilio emergencial em Sidrolândia. Na cidade há 1.792 microempreendedores individuais, mas calcula-se que só 36% (645) se enquadram nos critérios de recebimento do valor do governo.

A pessoa que vai receber o benefício precisa ter uma renda familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135) ou meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50). O número total de Microempreendedores Individuais no país atualmente é de 9,9 milhões. No Cadastro único, há 7.339 famílias cadastradas e 3.185 recebem bolsa família, mas nem todos vão receber. Por exemplo, se a mulher tem o bolsa família, mas o marido está recebendo seguro-desemprego ou voltou a trabalhar, não terá direito ao auxílio.

Beneficiários do Bolsa Família

Quem já recebe o Bolsa Família não precisa se cadastrar para receber o benefício. Os trabalhadores que se enquadrarem nas regras receberão o auxílio individual pelo mesmo meio em que recebem o Bolsa Família. Os trabalhadores receberão o benefício que for mais vantajoso.

Pagamentos seguem o calendário do Bolsa Família:

  • Primeira parcela nos últimos dez dias úteis de abril
  • Segunda parcela nos últimos dez dias úteis de maio
  • Terceira parcela nos últimos dez dias úteis de junho

Trabalhadores inscritos no Cadastro Único:

Os inscritos no CadÚnico, mas que não recebem o Bolsa Família, também não precisarão se inscrever. Para quem tem conta no Banco do Brasil ou poupança na Caixa:

  • primeira parcela a partir de 9 de abril

segunda parcela:

- 27 de abril para nascidos de janeiro a março

- 28 de abril para nascidos de abril a junho

- 29 de abril para nascidos de julho a setembro

- 30 de abril para nascidos de outubro a dezembro

  • terceira e última parcela:

- 26 de maio para nascidos de janeiro a março

- 27 de maio para nascidos de abril a junho

- 28 de maio para nascidos de julho a setembro

- 29 de maio para nascidos de outubro a dezembro

Para quem não tem conta nesses bancos:

  • primeira parcela em 14 de abril

segunda parcela:

- 27 de abril para nascidos de janeiro a março

- 28 de abril para nascidos de abril a junho

- 29 de abril para nascidos de julho a setembro

- 30 de abril para nascidos de outubro a dezembro

  •  terceira e última parcela:

- 26 de maio para nascidos de janeiro a março

- 27 de maio para nascidos de abril a junho

- 28 de maio para nascidos de julho a setembro

- 29 de maio para nascidos de outubro a dezembro