Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Maio de 2022

Sidrolândia

Frigorífico vistoria equipamentos da sala de desossa que não funciona por falta de acesso

Como a sala de desossa, não entrou em funcionamento, são 250 empregos que ainda não foram gerados.

Flávio Paes/RN

05 de Setembro de 2021 - 19:59

Frigorífico vistoria equipamentos da sala de desossa que não funciona por falta de acesso
Márcio Fedes e Vanda Camilo. Foto: Marcos Tomé

O Frigorífico Balbinos iniciou vistorias dos equipamentos da sala de desossa que está pronta há dois anos, mas permanece fechada porque até agora não foi concluído o acesso pavimentado à indústria, exigência da legislação sanitária para exportação de carne desossada. Os equipamentos estão sendo avaliados porque em 90 dias termina o período de garantia.

Segundo Marcos Duquini, diretor do Balbinos, sem a pavimentação do acesso, a indústria não consegue exportar sua produção porque as regras sanitárias de vários países impedem a compra de fornecedores sem está estrutura no entorno. A circulação de entrada e saída de caminhões, levanta muita poeira, fator que pode comprometer a qualidade da produção.

Como a sala de desossa, não entrou em funcionamento, são 250 empregos que ainda não foram gerados, além de milhões de reais em impostos que deixam de ser recolhidos. O frigorífico abate diariamente entre 600 e 700 cabeças, o que gera o recolhimento todo mês de R$ 4,5 milhões em ICMS, calculado sobre uma alíquota de 5,5%, com a venda da carne com osso para São Paulo. A indústria tem capacidade para abater 1.000 cabeças.

No último dia 25, a prefeita Vanda Camilo, acompanhada do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ademir Osiro, visitou o frigorífico. Foi recebida pelo proprietário da empresa, Márcio Fedes, que reiterou a solicitação para ela intervir junto ao Governo do Estado, pela retomada e conclusão da obra, interrompida há 9 meses. A prefeita revelou que firmou entendimento com o Governo para o município assumir o projeto.

A Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos) nos próximos dias vai rescindir o contrato com a empresa vencedora da licitação que desistiu da obra. Será feito convênio para repassar o recurso ao município que terminará a pavimentação do acesso pelo Rua Dr. Costa Marques, um trecho de 700 metros de asfalto, além de 1.200 metros de drenagem.

Como medida paliativa, a Prefeitura fechou as valetas abertas para implantação da drenagem, patrolou e reabriu o trecho da Costa Marques interditado desde setembro. Também por intervenção da prefeita, foi emitida a licença ambiental e obtida a autorização do proprietário, para a tubulação passar num trecho de uma chácara vizinha ao Balbinos. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico vai oferecer curso para qualificar os futuros trabalhadores da sala de desossa.