Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 19 de Outubro de 2020

Sidrolândia

Governo transfere de Sidrolândia PMS presos pelo Gaeco

Três dos policiais acusados foram transferidos da 8ªCompanhia Independente da Polícia Militar. Desde então Sidrolândia está com o efetivo desfalcado.

Flávio Paes/Região News

18 de Setembro de 2020 - 14:36

Policia Militar de Sidrolãndia MS. Foto: Arquivos/Região News

Somente agora um ano após a primeira operação do Gaeco que prendeu uma guarnição acusada de extorquir contrabandistas e se apropriar de objetos apreendidos por serem fruto de descaminho, três dos policiais acusados foram transferidos da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar. Desde então Sidrolândia está com o efetivo desfalcado.

Wilgruber Valle Petzold (segundo sargento), Rafael Leguiça Flores (cabo) e Diego de Souza Nantes (soldado) foram transferidos de Sidrolândia para o Batalhão da Polícia Militar de Guarda e Escolta onde estão presos.

No mês de maio, o sargento, Rafael e Diego também se tornaram réus na operação Piromania, realizada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado).

Os policiais são acusados de aceitar propina para liberarem de abordagem integrantes da facção criminosa  PCC (Primeiro Comando da Capital), que ostentava fotos queimando dinheiro.

De acordo com a denúncia, eles deixaram de prender dois homens suspeitos de tráfico de meia tonelada de maconha. A droga estava em uma Fiat Strada que, conforme o boletim de ocorrência, foi encontrada em meio a um milharal da MS-164 com a chave no contato.

Para a operação Piromania, a 7ª Vara Criminal de Campo Grande expediu 20 mandados de prisão preventiva, 13 mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca. Eles já cumprem pena pela acusação de terem se apropriado de bens contrabandeados em barreiras policiais das quais participavam.