Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 26 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Mato alto em terreno baldio e infestação de caramujos preocupa moradores do São Bento

O local na Rua Oscar Pereira de Brito virou criadouro de caramujos e pernilongos.

Gildo Tavares/Região News

02 de Fevereiro de 2020 - 20:33

Mato alto em terreno baldio e infestação de caramujos preocupa moradores do São Bento

Moradores da Rua Oscar Pereira de Brito, no Bairro São Bento, estão revoltados com um terreno baldio tomado pelo mato. O local virou criadouro de caramujos e pernilongos e a preocupação aumenta ainda mais por causa do período de chuvas, quando proliferam doenças como dengue, zika e chikungunya.

A autônoma Laurineide Cabral de Novaes, 35 anos, que mora na casa ao lado do terreno, disse que a situação ficou insustentável por causa dos desconfortos causados pelos insetos que procriam no local. "Não aguento mais este mato, tem caramujo e pernilongo para todo lado. As pernas do meu filho estão cheias de marcas de mordidas de pernilongos", desabafa.

Laurineide, que tem dois filhos, um de cinco anos e outro de 11 anos, afirma que tem medo das doenças que podem surgir a partir do terreno abandonado. "Agora com as chuvas os casos de dengue, zika e chikungunya devem aumentar e este terreno aqui ao lado me preocupa muito". Outro fato que vem tirando o sono dela e dos moradores da região é com o possível surgimento de escorpiões.

Além dos riscos eminentes com a saúde da família, Laurineide reclama que é obrigada a arcar com prejuízos de ter que comprar venenos para combater a proliferação dos mosquitos e dos caramujos em sua casa. Ela destaca que já fez reclamações formais e nenhuma atitude foi tomada. "Estou sendo obrigada a combater todo tipo de bichos peçonhentos que vem deste quintal porque ninguém toma uma atitude".

O Fiscal de Postura da Prefeitura, Sidclei Azevedo, destaca que a população deveria fazer o dever de casa. Como isso muitas vezes isso não acontece, o município poderia editar um decreto e enviar para o Ministério Púbico (MP), autorizando a entrada dos funcionários da Secretaria de Obras nos terrenos baldios para fazer a limpeza e posteriormente encaminhar a multa para o contribuinte que não cumpriu com suas obrigações.

O Secretário de Saúde de Sidrolândia, Nélio Paim, também defende que cada um faça a sua parte. "Cada um tem que arcar com suas responsabilidades. Hoje a Prefeitura não pode fazer a limpeza dos terrenos baldios, esta é uma responsabilidade do proprietário", falou.

Para que não aconteça a proliferação de mosquitos e caramujos e outros animais nos terrenos baldios, Paim defende ainda a criação de um mecanismo legal para o monitoramento destes imóveis que estão desocupados.