Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 2 de Dezembro de 2021

Sidrolândia

Ministro prevê que em até 3 anos Bioceânica esteja pronta e alerta para oportunidades de negócios

O ministro reconhece que a implantação do corredor não é uma tarefa fácil porque envolve investimentos em infraestrutura de três países diferentes.

Redação

16 de Outubro de 2021 - 19:17

Ministro prevê que em até 3 anos Bioceânica esteja pronta e alerta para  oportunidades de negócios
Carlos Parkinson, ministro de carreira. Foto: Marco Tomé/RN

O ministro de carreira diplomática, João Carlos Parkinson de Castro, ao participar neste sábado (16) do 1º Encontro de Desenvolvimento e Integração, previu que em 3 anos a estrutura viária vai estar pronta e com isto será possível escoar as exportações e importações de Mato Grosso do Sul para o continente asiático pelo Porto de Iquique no Chile, passando pelo Paraguai e a Argentina.

Partindo as cargas de Campo Grande (onde haverá um porto seco), haverá uma redução no trajeto de 4.049 km para 1.966. Está logística, que terá como ponto de entrada e saída no Brasil, Porto Murtinho, reduzirá os custos de frete em 25%. Na avaliação do ministro, que falou a empresários, produtores rurais, além da prefeita Vanda Camilo, secretários e vereadores, a rota vai abrir um leque de oportunidades de negócios. Permitirá que os produtores negociem diretamente com seus clientes no exterior, sem a intermediação das grandes trading internacionais. Abrirá oportunidades de negócios na área de logística e armazenamento.

Ministro prevê que em até 3 anos Bioceânica esteja pronta e alerta para  oportunidades de negócios
Ministro com autoridades políticas de Sidrolândia. Foto: Marco Tomé/RN

O ministro reconhece que a implantação do corredor não é uma tarefa fácil porque envolve investimentos em infraestrutura de três países diferentes. Até dezembro começa a construção da ponte internacional sobre o Rio Paraguai entre  Porto Murtinho e Carmelo Peralta, um investimento de  82 milhões de dólares . Está prevista a construção dos acessos a ponte dos dois lados da fronteira.

No território paraguaio está em andamento a pavimentação da Transchaco, uma rodovia de 800 km a partir de Carmelo Peralta que servirá de acesso a Argentina. Os primeiros 147 km estão prontos. No Chile duplicar 250 km de suas rodovias para facilitar o acesso ao Porto de Iquitos.