Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Maio de 2021

Sidrolândia

Nivaldo sobreviveu a duas contaminações por Covid-19 e 15 dias intubado

Nivaldo Chiavelli, 44 anos é o que se pode dizer ter sido beneficiário de um milagre. Na segunda-feira ele teve alta do Hospital da Unimed, onde permaneceu 45 dias.

Flávio Paes/Região News

22 de Abril de 2021 - 09:49

Nivaldo sobreviveu a duas contaminações por Covid-19 e 15 dias intubado
Nivaldo Chiavelli, 44 anos é o que se pode dizer ter sido beneficiário de um milagre. Fotos: Reprodução/Facebook

Em meio uma estatística fúnebre, no caso específico de Sidrolândia, intubar é praticamente uma sentença de morte, para os pacientes de Covid-19, Nivaldo Chiavelli, 44 anos é o que se pode dizer ter sido beneficiário de um milagre.

Na segunda-feira ele teve alta do Hospital da Unimed em Campo Grande, onde permaneceu 45 dias. Foi recebido com festa pelos amigos e familiares na volta pra casa. A façanha é surpreendente. Em dezembro ele testou positivo pela primeira vez para Covid-19, ficou em quarentena e conseguiu se recuperar.

Na última semana de fevereiro voltou a ter sintomas que os médicos da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) diagnosticaram como sendo de dengue. Após uma semana de idas e vindas ao posto, medicado com paracetamol, como os sintomas não desapareceram, viajou até Campo Grande e no dia 28 de fevereiro se consultou no pronto socorro do Hospital da Unimed. Já ficou internado até ter alta na última segunda-feira.

Nivaldo ainda não sabe exatamente se a Covid-19 lhe deixara sequelas. Por enquanto está sentindo dores na articulação de um dos pés. Ele está convencido que se contaminou no ambiente de trabalho (é funcionário da JBS). Como tem férias vencidas, só vai voltar ao trabalho em julho. Até lá espera ter a saúde plenamente restabelecida. Com a doença, descobriu que tem pressão alta e, portanto, terá de fazer consultas regulares no cardiologista.