Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 20 de Janeiro de 2021

Sidrolândia

Prefeitura vai cascalhar ruas do Pindorama e cobrar da Agesul conclusão do asfalto

Flávio Paes/Região News

10 de Janeiro de 2021 - 21:06

Neste domingo, mesmo sem chuva, um trecho da rua ainda estava tomado pela enxurrada empoçada. Foto: Marcos Tomé/RN

Quando as condições climáticas permitirem, a Secretaria de Infraestrutura vai fazer a manutenção, possivelmente com cascalhamento das ruas do Jardim Pindorama onde o Governo do Estado iniciou em março as obras da pavimentação, interrompeu para implantação da rede de esgoto e em novembro, parou o serviço por 150 dias, porque não estava pagando a empreiteira por falta de liberação de recursos por parte do Governo Federal.

A prefeita Vanda Camilo pretende entrar em contato com a Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos) para cobrar o cronograma para retomada e conclusão do asfalto nas duas ruas.

As duas ruas ficam praticamente intransitáveis nos dias de chuva. No sábado, um caminhão da coleta de lixo ficou atolado na Cezar Neto de Menezes e foi preciso mobilizar equipamentos da Secretaria de Infraestrutura para retirar o veículo do atoleiro. Neste domingo, mesmo sem chuva, um trecho da rua ainda estava tomado pela enxurrada empoçada.

Caminhão da coleta de lixo ficou atolado na Cezar Neto de Menezes. Foto: Divulgação

São duas ruas curtas, 250 metros de extensão, entre a Leôncio de Souza Brito e a Prudente de Moraes. A obra começou em fevereiro, parou em julho, porque seis moradores não fizeram a conexão das suas casas à rede de esgoto, mantiveram as fossas sépticas (algumas construídas na calçada).

Segundo o representante da Trento Engenharia, empresa responsável pela obra, as fossas não atrapalhariam a aplicação da capa asfáltica, mas a Agesul, por imposição da Caixa Econômica Federal, condiciona a continuidade da obra, a conexão das casas à rede de esgoto e que as fossas sejam aterradas. Diante do aparente desinteresse dos moradores para resolver o impasse, o próprio engenheiro da empreiteira esteve no bairro e falou com os moradores, mas alguns ignoraram.

Um deles, residente na Rua Cesar Neto de Menezes, entrevistado pela reportagem, mas que pediu para ter sua identidade preservada, deixa claro: mantém a fossa ativa, não fez a conexão à rede de esgoto, porque não tem aproximadamente R$ 1 mil para comprar o material (encanamento, válvula) e pagar a mão de obra dos serviços necessários.

Uma vizinha deste morador, juntou as economias e fez a conexão na expectativa de que o asfalto passe em frente da casa dela e consiga retomar a produção e venda de bolo, sua principal fonte de renda. “Com a poeira na estiagem e o barro, quando chove, fica difícil trabalhar”, constata.

A pavimentação de três ruas no Jardim Pindorama (Osvaldo Pereira de Brito, Pedro Celestino e César Neto de Menezes,) se arrasta desde 2018. No ano anterior, os deputados Zeca do PT e Vander Loubet destinaram duas emendas parlamentares no valor de R$ 700 mil para execução da obra que o Governo dividiu em duas licitações.

Ano passado foi feito o asfalto da Osvaldo Pereira, ao custo de R$ 246.243,00. Em janeiro foi homologada a licitação do asfalto na Pedro Celestino e na Cesar Neto de Menezes, ao custo de R$ 466.868,00.