Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 1 de Outubro de 2020

Sidrolândia

Presidente da Câmara devolve projeto da suplementação e diz que prefeito usa ‘coronavírus’ como manobra

Na visão de Carlos Henrique, o perfeito está usando a questão do coronavírus para aprovar a suplementação.

Flávio Paes/Região News

18 de Março de 2020 - 11:52

Presidente da Câmara devolve projeto da suplementação e diz que prefeito usa ‘coronavírus’ como manobra

Num discurso recheado de ataques ao prefeito Marcelo Ascoli (PSL) e ao líder do Governo, Jean Nazareth, a quem chamou de imoral, o presidente da Câmara de Sidrolândia, Carlos Henrique, deixou claro na sessão de ontem que vai continuar obstruindo a tramitação do projeto que aumenta de 10 para 35% a margem de suplementação do orçamento por decreto.

Ele se mantém irredutível mesmo diante do requerimento em que 11 vereadores pedem o início imediato da tramitação da proposta. "Não vou me render a chantagem da mídia, nem de um governo mentiroso. Se quiserem, podem recorrer à Justiça”, destacou o presidente na manhã de hoje durante uma transmissão nas redes sociais.

Na visão de Carlos Henrique, o perfeito está usando a questão do coronavírus para aprovar a suplementação. "O projeto chegou à Câmara no dia 20 de fevereiro e o primeiro caso no Brasil foi confirmado no dia 26", revelou. Na manhã desta quarta-feira, o projeto foi devolvido ao Executivo.

Carlos Henrique sugere que ao invés de pedir autorização para remanejar em até 35% o orçamento, o prefeito envie um projeto especificando das ações na área da saúde que precisa de dotação para compra de insumos ou medicamentos. "Nestas condições votamos o projeto de abertura de crédito, independente do montante ", garante.

Na sessão ordinária de ontem o vereador Kenendi Forgiarini (PP), alertou  em pronunciamento para o risco de zerar os estoques de remédios de uso contínuo, para diabete, pressão alta, caso não haja suplementação para saúde que precisa de mais de R$ 1 milhão em rubricas orçamentárias.