Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 21 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Primeira moradora dos lotes urbanizados completa dois meses na casa própria

O lote foi o passaporte para a diarista Cristiane Vargas se livrar dos R$ 500,00 que pagava de aluguel.

Flávio Paes/Região News

22 de Outubro de 2019 - 14:53

Primeira moradora dos lotes urbanizados completa dois meses na casa própria

Foram seis meses de trabalho aos finais de semana. Muita economia, recurso de um empréstimo bancário, a indenização do antigo emprego e até R$ 4 mil, da parte que lhe coube na venda da casa da mãe e ainda prestações da compra de parte do material de construção.

Todo este esforço garantiu a diarista Cristiane Vargas, condição de primeira beneficiária dos 36 lotes urbanizados entregue dia 14 de fevereiro pelo Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura, a concluir sua residência e entrar pra dentro da tão sonhada casa própria. Foram 12 anos na fila de espera do Departamento de Habitação do Município. O lote foi o passaporte para se livrar dos R$ 500,00 que pagava de aluguel.

No último dia 10 ela completou dois meses na nova casa, para onde se mudou em 10 de agosto. Sem contar com a despesa da mão de obra, que não lhe custou nada (o marido executou a construção aos finais de semana), ela acredita ter gasto R$ 22 mil para deixar a casa pronta, inclusive com forro e acabamento. Reforça o orçamento familiar como diarista, enquanto mantém um trabalho com carteira assinada.

Boa parte dos 51 beneficiários do lote urbanizado estão com obras em andamento. Só duas pessoas desistiram no meio do caminho e acabaram excluídas do programa. Das famílias atendidas, 38 se habilitaram ao financiamento oferecido pelo Governo do Estado, para instalação do telhado e da caixa d'água.

Segundo a coordenadora de Habitação e Urbanismo do Município, Juliana Zorzeto, foi iniciada nesta terça-feira (22) a execução do projeto piloto para montagem da estrutura metálica da cobertura das moradias, cujo acesso ao financiamento aos titulares é viabilizado pela Agehab.

“Além da estrutura metálica também foi viabilizado o acesso dos moradores ao financiamento das telhas, caixas d'água, suporte dessas caixas, e eles só vão começar a pagar a partir do momento que entrarem nas casas, parcelas de aproximadamente R$ 150,00”, explicou Juliana.

A empresa fornecedora do material está com profissionais realizando a montagem na primeira unidade para que os construtores da cidade que trabalham nas obras dessas casas aprendam a maneira de trabalhar com os itens financiados.

Contratos

O programa habitacional do lote urbanizado teve duas etapas em Sidrolândia, com a assinatura dos contratos em datas distintas. Em ambos os atos participaram o prefeito Marcelo Ascoli, gestores da Administração Municipal, vereadores e a diretora-presidente da Agência Estadual de Habitação Popular (Agehab), Maria do Carmo Avesani Lopes.

A primeira foi realizada no dia 14 de fevereiro deste ano, contemplando 36 famílias. E a segunda, para mais 15 famílias, ocorreu no dia 2 de maio.

O programa

De acordo com a Agehab, a parceria para o Projeto Lote Urbanizado é formada a 'três mãos': a Prefeitura doou o terreno (também executou a terraplenagem), o Governo do Estado criou o projeto e construiu a base da residência (com fundação, instalações hidráulicas e sanitárias, contra piso e primeira fiada em alvenaria), e a família beneficiária entra com a mão de obra e a compra do material restante. O prazo para a conclusão é de 24 meses contados a partir da assinatura de autorização para execução da obra.