Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 21 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Produção leiteira cai 71% e assentado troca gado por arrendamento para soja

Ano passado, conforme balanço do Banco Central, os pequenos produtores contrataram pouco mais de R$ 3 milhões do Pronaf.

Flávio Paes/Região News

09 de Janeiro de 2020 - 10:26

Produção leiteira cai 71% e assentado troca gado por arrendamento para soja

A produção da bacia leiteira de Sidrolândia nos últimos 10 anos caiu mais de 71%, o que levou muitos assentados a apostar na produção de bezerro para a venda ou arrendaram os lotes para grandes produtores plantarem soja e milho. O preço baixo, a dificuldade de acesso às linhas de financiamento do Pronaf para investimento ou custeio, são algumas das razões que provocaram esta migração da atividade que sempre foi a primeira opção atividade econômica para as famílias beneficiárias da reforma agrária.

Ano passado, conforme balanço do Banco Central, os pequenos produtores contrataram pouco mais de R$ 3 milhões do Pronaf. O valor corresponde a 2,57% dos R$ 118.337.385,28 liberados em todo o Estado. Num universo de 4 mil assentados, foram fechados 126 contratos.

Segundo o secretário Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, Ivan de Oliveira, em 2010, quando havia perspectiva de instalação de uma indústria láctea, havia uma produção diária de 70 mil litros de leite. Hoje ele calcula que a produção não passa de 20 mil litros. “Como técnico da Agraer, na época Empaer, fizemos um mapeamento da produção do município", lembra.

No Assentamento Vacaria, por exemplo, que por muito tempo foi uma referência no município na produção leiteira, hoje uma minoria de parceleiros se mantém na atividade. Mais de 40 dos 48 lotes estão ocupados por lavouras, em sistema de arrendamento ou produção dos próprios assentados. É o caso de Luiz Varela, que há cinco anos trocou o leite pela agricultura.

No Assentamento Barra Nova, Rodrigo Gabriel, desistiu da produção leiteira e pretende se dedicar à produção de carneiro. Como não tem a posse regular do lote (comprou há 5 anos o direito de posse do beneficiário original), não tem DAP, daí ficar impedido de acessar as linhas de crédito do Pronaf, que tem custos financeiros compatíveis com a capacidade de pagamento do pequeno produtor. Já investiu R$ 50 mil em melhorias na propriedade e terá de desembolsar mais R$ 14 mil para reformar os 10 hectares de pastagem.

O assentado Benvindo Pinheiro de Souza, também do Barra Nova, optou pela produção de bezerro, uma atividade mais rentável e menos suscetível às oscilações de preço, como é a produção de leite. “Dependendo da produção, não se consegue nem um salário mínimo por mês de renda", calcula. Hoje sobrevive da sua aposentadoria e da venda de 12 bezerros por ano.

Pronaf Pecuária

R$ 3.043.968,34

Sidrolândia

R$ 118.377.385,27

Estado

2,57%

Investimento Sidrolândia

2019

55 contratos

Recurso captado

R$ 1.535.041,76

Investimento estadual

R$ 71.781.282,58

2.147 contratos

Sidrolândia

2018

106 contratos

Valor captado

R$ 2.558.324,16

Pronaf - investimento pecuário estadual

R$ 71.702.718,92

3.260 contratos

Custeio - Pronaf pecuária Sidrolândia

2019

71 contratos

Valor captado

R$ 1.508.926,58

Custeio estadual - 2019

R$ 46.596.102,69

1.922 contratos

Área financiada 1.922 hectares - 2018

R$ 1.310.572,79

78 contratos