Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Sidrolândia

Projeto do acesso ao Balbinos será ajustado com mais 300 metros de asfalto

Será preciso executar mais 300 metros de pavimento para o asfalto chegar na área dos mangueiros onde as carretas desembarcam os bois para abate.

Redação/Região News

25 de Novembro de 2021 - 10:41

Projeto do acesso ao Balbinos será ajustado com mais 300 metros de asfalto
No projeto atual o asfalto só chega ao portão de entrada dos funcionários. Foto: Divulgação

Obra reivindicada há 6 anos, que chegou a ser iniciada ano passado, o projeto do acesso ao Frigorífico Balbinos terá de passar por uma adequação para corrigir uma falha que só agora foi percebida. Será preciso executar mais 300 metros de pavimento para o asfalto chegar na área dos mangueiros onde as carretas desembarcam os bois para abate e os caminhões frigoríficos levam a carne para São Paulo, onde é comercializada.

No projeto atual o asfalto só chega ao portão de entrada dos funcionários. A área de acesso dos caminhões continuará sem pavimento, o que inviabiliza o funcionamento da sala de desossa pronta há mais de dois anos.

Nesta quarta-feira a prefeita Vanda Camilo aproveitou a vinda do secretário de relações institucionais da Secretaria Estadual de Infraestrutura, Roberto Hashioka, para visitar o trajeto do acesso ao Frigorífico Balbinos pela Rua Dr. Costa Marques. Ela já determinou a readequação do projeto para a inclusão do trecho adicional na licitação da obra que deve ser lançada no primeiro trimestre de 2022.

Projeto do acesso ao Balbinos será ajustado com mais 300 metros de asfalto

Na semana passada foi formalizado o convênio da Prefeitura com a Agesul que repassará R$ 1.795.813,24 para o município executar 1.300 metros de drenagem e 700 metros de asfalto. O custo terá de ser recalculado para computar mais 300 metros de pavimentação.

Antes de constatar a necessidade de adequar o projeto, o Governo já havia decidido aumentar em 27,18% o repasse que fará à Prefeitura concluir a obra. Ao invés de R$ 1.412.019,24 serão repassado R$ 1.795.813,17, um acréscimo de R$ 383.793,93 em relação ao valor anunciado pelo governador Reinaldo Azambuja mês passado durante visita a Sidrolândia.

A obra é reivindicada há 5 anos porque é uma exigência da Inspeção Sanitária do Ministério da Agricultura para liberar o funcionamento da sala de desossa, o que vai gerar 350 empregos. Foram investidos R$ 2 milhões na estrutura. A prefeita Vanda Camilo buscou pessoalmente a solução do impasse que dependia da anuência do proprietário do pesqueiro, Silvio Martins, para ele autorizar a passagem de um trecho da drenagem num trecho do imóvel.

No dia 13 de março, o proprietário assinou a anuência e terá como compensação o reforço da drenagem. Serão construídas duas bocas de dragão na confluência das ruas João Márcio Ferreira Terra, Nilo Peçanha, Antônio Alves Nantes e Tiradentes. Este sistema de captação adicional vai desviar a enxurrada que desce do Bairro São Bento que hoje alaga parte da chácara.