Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 20 de Setembro de 2021

Sidrolândia

Proprietário de pesqueiro vai autorizar passagem da drenagem do acesso ao frigorífico

Nesta semana a Prefeitura de Sidrolândia deve obter a anuência do proprietário para a passagem numa faixa de terra do pesqueiro da tubulação.

Flávio Paes/RN

14 de Março de 2021 - 20:28

Proprietário de pesqueiro vai autorizar passagem da drenagem do acesso ao frigorífico
Drenagem vai atravessar pesqueiro para desaguar no córrego São Bento. Foto: Marco Tomé/Região News

Nesta semana a Prefeitura de Sidrolândia deve obter a anuência do proprietário para a passagem numa faixa de terra do pesqueiro da tubulação. Será o trecho final da drenagem projetada para a pavimentação do acesso ao Frigorífico Balbinos pela Rua Dr. Costa Marques. A tubulação vai captar a enxurrada, que desce desde o Bairro São Bento, desembocando no Rio Vacaria, em  cujas margens, será construído um dissipador de energia, escadas para reduzir a velocidade da água.

O acordo, que vai pôr fim ao impasse e garantir a retomada da obra interrompida em janeiro por falta de licenciamento ambiental, foi possível porque a Prefeitura vai oferecer obras compensatórias para acabar com o alagamento (pelas águas pluviais) de um hectare da propriedade de Silvio Martins. Segundo o engenheiro Jônatas kachorroski, que intermediou o entendimento, serão construídas duas bocas de dragão no final da Rua João Márcio Ferreira Terra e na confluência das ruas Nilo Peçanha, Antônio Alves Nantes e Tiradentes.

Este sistema de captação de água horizontal vai evitar que está enxurrada escoe pela tubulação e não alague parte do pesqueiro. Tão logo a Prefeitura tenha a anuência do proprietário, a Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos) vai protocolar na Secretaria de Meio Ambiente o pedido de licenciamento ambiental. Concedida a licença, a obra será retomada em seguida.

Desde a paralisação da obra em janeiro, a prefeita Vanda Camilo vem tentando a solução do impasse. Esteve com o proprietário, foi na Agesul, chegou a cogitar assinar o decreto de desapropriação da faixa de terra por onde passará a tubulação.

Também chegou a ser cogitada a mudança do projeto, com a tubulação contornando as lagoas de tratamento de esgoto do frigorífico. Está alteração aumentaria o trajeto em aproximadamente, 1 km.

Morosidade

A "novela" da pavimentação do acesso ao Frigorífico Balbinos pelo Jardim Paraíso se arrasta há pelo menos 4 anos. Desde o último dia 5 de janeiro a obra foi oficialmente paralisada pelo Governo do Estado por 180 dias. Falta licenciamento ambiental, que é de responsabilidade da Prefeitura, da drenagem projetada para captar e escoar a enxurrada pouco mais de 1 km antes de desaguar no Córrego Vacaria.

Enquanto o impasse não se resolve, o frigorífico não coloca em funcionamento a sala de desossa um investimento de R$ 15 milhões que vai gerar 400 empregos. Pelo menos 30 carretas estão atravessando uma das ruas mais movimentadas da cidade entrando com gado para abate e saindo com peças de carne.

Trânsito 

Com a interrupção da obra, como os trechos das duas ruas estão intransitáveis e com isto as 35 carretas do frigorífico que antes passavam por ali, descendo pela Generoso Ponce, agora chegam à cidade pela Avenida Dorvalino dos Santos, atravessando a Rua João Márcio Ferreira Terra até chegar ao frigorífico. Os caminhões disputam espaço numa via movimentada, principal acesso ao bairro mais populoso da cidade, o São Bento.