Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 18 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Saúde vai denunciar à Polícia quem ao retornar não informar viagem e promover ‘festinhas

Os 4 moradores da cidade que testaram positivo para o novo coronavírus contraíram a doença enquanto viajavam.

Flávio Paes/Região News

13 de Maio de 2020 - 08:35

Saúde vai denunciar à Polícia quem ao retornar não informar viagem e promover ‘festinhas

O decreto que renovou a quarentena por mais 15 dias em Sidrolândia, obriga quem voltar a Sidrolândia de viagens a países, estados e municípios, onde esteja ocorrendo um número elevado de casos de Covid-19, a comunicar o retorno à Secretaria de Saúde, sob pena de ser denunciado na Polícia, ficando passível de enquadramento em dois artigos do Código Penal (267-268) que prevê multa e em casos mais extremos, prisão, sob acusação de contribuir para introdução ou propagação de doença contagiosa. Os 4 moradores da cidade que testaram positivo para o novo coronavírus contraíram a doença enquanto viajavam, três estiveram no Pará e um esteve na Europa.

O mesmo risco vai correr (de ser denunciado à Polícia) quem for flagrado promovendo aglomerações recreativas, churrascos, festas, mesmo dentro da própria casa. “Como não temos uma estrutura de fiscalização, nem a própria Polícia tem efetivo para isto, pedimos o apoio da população. Podem mandar vídeos, fotos, que a denúncia vai ser apurada”, destaca o prefeito Marcelo Ascoli.

Segundo ele, “como as pessoas não tem se conscientizado da importância de manter o isolamento social, talvez a alternativa seja a punição”. “Sidrolândia não é uma bolha protegida do vírus. Espero que não seja necessário morrer um morador da cidade, para que haja esta consciência”, afirma.

A Prefeitura mantém um serviço de atendimento por telefone para que as pessoas comuniquem o retorno a cidade e sejam monitorados pela Secretaria de Saúde. Havia intenção de montar uma barreira sanitária nas entradas da cidade, mas a proposta foi abandonada diante da oposição das forças de segurança.

O monitoramento será feito na estação rodoviária com os passageiros que desembarcarem. Equipes da Saúde farão a medição da temperatura corporal, quem tiver febre será testado e orientado a ficar 14 dias em quarentena domiciliar.