Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 20 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Secretaria de Saúde suspende atendimento após diagnosticar 6 servidores com Covid-19

Parlamentares disseram que não há clima para recesso e que continuam trabalhos sem paralisação.

Marcos Tomé/Região News

23 de Junho de 2020 - 10:29

A Secretaria Municipal de Saúde de Sidrolândia, por meio de nota oficial divulgada pela DECOM (Departamento de Comunicação), resolveu suspender o atendimento ao público na manhã desta terça-feira (23), após resultados positivos de coronavírus entre os servidores da pasta.

Ao menos seis trabalhadores que atuam na Secretaria, foram diagnosticados com a Covid-19. A nota divulgada não trás informações se as pessoas contaminadas trabalham diretamente com a área de saúde, ou se são servidores que desempenham funções de serviços diversos como, por exemplo, do setor administrativo.

Quatro trabalhadores estão curados, outros dois, estão sintomáticos. Os casos em que o paciente não apresentou sintomas os resultados dos exames detectaram anticorpos para o coronavírus, ou seja, contraíram a doença, o organismo reagiu sem apresentar os sintomas e só agora, foram testados como medida preventiva e testaram positivo.

O secretário de Saúde, Jesiel Ratier, resolveu suspender o atendimento ao público por 7 dias, como determina o protocolo do Ministério da Saúde para investigar amigos, familiares e contatos mais próximos das pessoas infectadas. Só serviços administrativos continuam funcionando.

Casos

Até agora foram registrados 17 casos de coronavírus na cidade; 13 só nos últimos 15 dias. Sidrolândia registrou o primeiro caso no dia 19 de março, quando a enfermeira Tatiane Nantes, diretora da Secretaria de Saúde, testou positivo para Covid-19 no retorno da viagem que fez a Europa.

Em 6 de março, 18 dias após o primeiro caso, foi diagnosticado o 2º registro da doença; de um rapaz que viajou para Belém do Pará. No dia seguinte, sua esposa também testou positivo para doença (3º). A Saúde levou 35 dias para registrar o 4º caso da doença, em 10 de maio, quando um caminhoneiro que também viajou para o Estado do Pará, contraiu o vírus.

Em 4 de junho o então secretário de Saúde, Nélio Paim, deixou o cargo em decorrência do prazo legal da Justiça Eleitoral para disputar as eleições municipais agendadas até o momento para o mês de outubro.

Após deixar a Secretaria, os números de casos da doença triplicaram; saltou de 4 para 17 casos em menos de 15 dias e uma morte. “O avanço da doença no interior já era esperado”, revela o ex-secretário que desde o inicio da pandemia vinha tomando medidas estratégicas para conter a doença. Tentamos contato com o atual secretário de Saúde, mas não respondeu aos telefonemas.