Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 25 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Secretário cadastra famílias da agrovila do Capão Seco que receberão energia elétrica

Segundo o secretário, a partir deste levantamento, a Energisa quer ter um quadro detalhado sobre o número de ligações.

Flávio Paes/Região News

05 de Janeiro de 2020 - 21:25

Secretário cadastra famílias da agrovila do Capão Seco que receberão energia elétrica

O secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Ivan de Oliveira Santos, passou boa parte do domingo na agrovila do Capão Seco, onde chegou logo cedo para fazer o cadastramento das famílias que nos próximos 90 dias receberão energia elétrica.

Segundo o secretário, a partir deste levantamento, a Energisa quer ter um quadro detalhado sobre o número de ligações monofásicas, bifásicas e até trifásicas, que é reservada há quem planeje se estabelecer como microempresário.

A empresa vai financiar os padrões nos monofásicos que poderão ser pagos em até 24 meses com um preço dispositivo. Já quem precisar de um suprimento maior de energia, terá de arcar com os custos do padrão. Entre os que foram se cadastrar um futuro microempresário, Carlos que só espera a chegada da energia para montar uma oficina de refrigeração.

Desde a segunda quinzena do mês passado começaram a chegar os materiais. Na quarta-feira a empresa contratada pela Energisa, deve iniciar a implantação da rede que vai exigir um investimento de R$ 700 mil.

Foram cadastradas 225 famílias, 85% delas pediram padrão monofásico. O grupo remanescente poderá se cadastrar junto a associação de moradores ou se dirigir a Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente e pedir a ligação.

O início da implantação culmina um processo iniciado em agosto de 2018, quando o juiz Fernando Freitas Moreira, concedeu liminar, num processo impetrado pela Defensoria Pública. Na época o magistrado deu um prazo de 90 dias para a empresa fazer o rebaixamento da rede e garantir energia elétrica à comunidade.

A execução do projeto esbarrou em questões como a demora da Agesul em definir a faixa de domínio da MS-258, já asfaltada desde a BR-060 até o Capão Seco, mas o Governo planeja estender a pavimentação até a BR-163. Também foi demorado o processo decisório da Prefeitura que só em junho encaminhou à Câmara o projeto que incorporou ao distrito da agrovila. Sem esta alteração, a Sanesul não poderia implantar a rede de água, porque a área de concessão da empresa não abrange a zona rural.

O núcleo atualmente tem 191 casas construídas e ocupadas; 275 em construção e 136 lotes sem edificação. Com a chegada da energia elétrica e em seguida da rede de água, prevista para começar em fevereiro, a expectativa é que a agrovila seja habitada integralmente. Tem uma localização estratégica, entroncamento entre duas estradas: a MS-258, ligação das rodovias BR-163 e 060, em Sidrolândia e a MS-453, por onde é possível chegar a MS-162, saída para Maracaju, atravessando vários assentamentos e áreas de grande produção agrícola.

Em fevereiro começa a implantação do sistema de abastecimento d'água do núcleo. A Sanesul vai investir R$ 1,2 milhão na perfuração de um poço com vazão de 15 mil litros por hora, um reservatório com capacidade par 50 mil litros, além de 7 quilômetros de rede com 550 ligações domiciliares.