Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 22 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Secretários assinaram praticamente coagidos, portaria que mudou direção da Fundação Indígena

Secretários de Fazenda, Renato da Silva Santos e o procurador jurídico da Prefeitura, Luiz Palermo foram coagidos a fazer uma minuta e mandar publicar portaria.

Redação/Região News

16 de Fevereiro de 2020 - 21:00

Secretários assinaram praticamente coagidos, portaria que mudou direção da Fundação Indígena

Com o Paço Municipal ocupado por 50 indígenas na última quinta-feira, alguns com facas e foices, que ameaçavam danificar o mobiliário e computadores caso não fossem atendidos, os secretários de Fazenda, Renato da Silva Santos e o procurador jurídico da Prefeitura, Luiz Palermo não tiveram outra saída.

Praticamente foram coagidos a fazer uma minuta e mandar publicar (com assinatura eletrônica) na sexta-feira, a portaria que exonerou Otoniel Gabriel e nomeou para presidência da Fundação Municipal Indígena, Genivaldo Alcântara, cunhado do vereador Otacir Figueiredo.

Mesmo sem anuência prévia do prefeito Marcelo Ascoli, os secretários tiveram de atender a exigência dos invasores, porque eles e os servidores do Paço Municipal, se sentiram ameaçados até de serem agredidos fisicamente. O clima ficou tão tenso, com funcionários temendo pelo pior (tal era a truculência dos manifestantes) que na quinta-feira à tarde muitos foram dispensados do expediente porque estavam com os nervos abalados.

De qualquer forma, o que legitimou a troca de Otoniel por Genivaldo foi um documento em que três caciques (das aldeias Tereré, Nova Tereré e 10 de Maio), defendiam a substituição. Desde que a Fundação Indígena foi criada, o prefeito estabeleceu como norma que o presidente da autarquia fosse escolhido sem que tivesse o apoio da maioria dos caciques das 6 aldeias reconhecidas pela Funai em Sidrolândia no território da Reserva Indígena Buriti.

O grupo de Otoniel, garante ter maioria, porque não reconhece Claudinei Souza como cacique da Aldeia 10 de Maio, que teria tentado derrubar Adão Custódio contrário a escolha de Genivaldo Alcântara. Adão ainda é reconhecido pela Funai como cacique, conforme atesta documento assinado no último 3, pelo coordenador regional, Henrique Dias.

Ou seja, por esta contabilidade, de seis, só os caciques da Tereré e Nova Tereré, apoiam a troca no comando da fundação. Otoniel teria o apoio dos caciques das aldeias Nova Nascente, 10 de Maio e Córrego do Meio. O documento com as assinaturas das 4 lideranças foi entregue ao prefeito que provavelmente vai anular a portaria da quinta-feira, tirando Genivaldo Alcântara do cargo antes dele ter assumido.