Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Maio de 2021

Sidrolândia

Sem dinheiro, Comitiva passa por dificuldades para prestar assistência a pessoas com câncer

Quem mais tem sentido os efeitos desta pandemia, na esfera das instituições filantrópicas, são as associações sem fins lucrativos.

Marcos Tomé/Região News

22 de Abril de 2021 - 15:06

Sem dinheiro, Comitiva passa por dificuldades para prestar assistência a pessoas com câncer
Presidente da Comitiva dos Amigos, Shirley Pigosso Basso. Foto: Arquivo/RN

A pandemia do novo coronavírus não faz vítima só quem contrai o vírus, vai muito além de uma questão sanitária, até então, incontrolada pelas autoridades e instituições mundo afora. Comerciantes, empresas de pequeno porte e até aquelas inseridas nas atividades consideradas essenciais, estão atravessando momentos de turbulência para se manter no mercado.

Quem mais tem sentido os efeitos desta pandemia, na esfera das instituições filantrópicas, são as associações sem fins lucrativos que sobrevivem basicamente de doações e eventos. É o caso, por exemplo, da Associação Comitiva dos Amigos, que hoje atende mais de 250 pessoas acometidas por algum tipo de câncer.

Shirley Pigosso Basso, revela que desde o ano passado a instituição vem enfrentando dificuldades de ordem econômica porque a maior fonte de receita, o tradicional almoço dos amigos que é organizado duas vezes por ano, foi suspenso em decorrência das medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19.

“Estamos vivendo um drama com as famílias assistidas diariamente. Fazemos que é possível por falta de recursos”, revela. Ela diz que tem recebido ajuda de algumas empresas, autônomos e do Sindicato Rural.

“Ainda não temos números fechados, mas o Sindicato em parceria com outras instituições e empresas, já nos ajudou com mais de R$ 20 mil”, informa.

O presidente da Câmara Municipal, Sandro Gonzáles, revelou ao RN que já determinou a devolução de R$ 10 mil para a Prefeitura, que vai repassar como forma de auxilio a Comitiva dos Amigos. “Não é o papel do Legislativo, mas não podemos fingir que o problema não é nosso. Já conhecia o trabalho desta instituição e depois de ser diagnosticado com um linfoma, tenho convivência com a dura realidade do tratamento. Não é fácil. As pessoas que se doam a esta causa são verdadeiros heróis”, comentou.

Sem dinheiro, Comitiva passa por dificuldades para prestar assistência a pessoas com câncer
Presidente da Câmara Municipal, Sandro Luiz Gonzáles. Foto: Marcos Tomé/RN

Shirley disse ao RN que espera concluir os tramites burocráticos para voltar a receber o repasse de R$ 15 mil por mês da Prefeitura. “Desde o mês de novembro do ano passado não estamos recebendo o valor da subvenção. Me informaram que este mês vão nos repassar”, conta otimista.

A presidenta explica que os pacientes recebem assistência psicológica e social da Comitiva dos Amigos. “Para quem tem carro, por exemplo e precisa se deslocar até Campo Grande, a gente abastece o veículo com R$ 60,00, já pra quem mora na zona rural o valor passa a ser de R$ 70,00. Quem não tem veículo a Comitiva paga a passagem ida e volta, além de acompanharmos o dia-a-dia deste paciente que as vezes precisa de um cuidado maior, como a doação de cestas de alimentos”.