Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 28 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Sem receber há três meses, comerciantes suspendem venda para servidores com ‘vale’ do Sindicato

Entre os servidores o clima é de revolta e indignação, já que o valor das compras foi descontado dos seus salários.

Flávio Paes/Região News

29 de Outubro de 2019 - 14:50

Sem receber há três meses, comerciantes suspendem venda para servidores com ‘vale’ do Sindicato

Praticamente todos os estabelecimentos que mantinham convênio com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais romperam a parceria e não estão aceitando vender para os servidores com os "vales" emitidos pela entidade. Entre os servidores o clima é de revolta e indignação, já que o valor das compras foi descontado dos seus salários e estão sendo surpreendidos, ao procurarem os estabelecimentos conveniados, sendo informados que o crédito está suspenso por falta de pagamento da entidade sindical.

"Resolvemos suspender o convênio por causa dos atrasos, porque gerava um trabalho extra de controle", explica empresário de um dos muitos estabelecimentos comerciais que aceitavam os "vale compra" do Sindicato.

Aos servidores é oferecida a alternativa de parcelar o crediário no carnê. A mesma atitude foi tomada por uma comerciante que rompeu o convênio porque não consegue receber do Sindicato R$ 2.500,00, referentes a compras efetuadas há dois e até três meses.

A agente de saúde Aderlândia de Souza, está inconformada com a situação. Teve o desconto de R$ 450,00 no seu salário de outubro, referentes as compras no supermercado e de combustível, mas foi surpreendida (ao dirigir-se a um supermercado) com a informação de que o convênio está suspenso porque o sindicato está com pagamentos em atraso.

Ela isenta a Prefeitura de responsabilidade pelo problema, pois recebeu a confirmação na Secretaria de Fazenda, que todos os valores descontados dos funcionários estão sendo repassados ao Sindicato. “O presidente (Idemar Marcos Aquino) não dá uma explicação, diz apenas que está com problema”, desabafa. A reportagem manteve contato com o sindicalista, que reiterou este posicionamento: "em breve tudo será resolvido".

*Matéria atualizada para acréscimo de informações.