Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 2 de Dezembro de 2021

Sidrolândia

Temporal teve menor intensidade, mas destelha casa e deixa parte da zona rural sem energia

Alguns pontos isolados da área urbana estavam sem energia até por volta das 16 horas.

Redação/Região News

24 de Outubro de 2021 - 21:12

Temporal teve menor intensidade, mas destelha casa e deixa parte da zona rural sem energia
Foto: Divulgação

Embora as previsões com dimensões quase apocalípticas da meteorologia, felizmente não tenham se confirmado, a tempestade que caiu em Sidrolândia do sábado à noite e invadiu a madrugada deste domingo, não deixou de provocar estragos. Alguns pontos isolados da área urbana estavam sem energia até por volta das 16 horas. Boa parte da zona rural também voltou a sofrer com o apagão. No Quebra Coco, além de energia, a população do distrito está sem água. A Sanesul, em comunicado enviado à imprensa, prevê que o abastecimento só será normalizado após as 23 horas.

Como desta vez o vendaval não atingiu os 100 km/h de velocidade do temporal da sexta-feira retrasada (o vento chegou a 50 km/h), pelo menos até agora não chegou à Assistência Social nenhum pedido de ajuda de moradores da área urbana.

Foram registrados alagamentos em bairros como o Jardim Petrópolis, onde um morador, na Rua Hélio Martins Coelho postou um vídeo do alagamento da casa dele. A situação mais grave foi numa casa na Assentamento Santa Terezinha. Uma descarga queimou os eletrodomésticos (além da bomba do poço) e destruiu toda a instalação elétrica.

Dona Ivonete Silva, o marido e os dois filhos acordaram por volta da meia-noite com o estrondo do raio, enquanto as telhas de amianto voavam.

Tiveram de passar o resto da noite na casa de vizinhos que ajudaram a cobrir parcialmente a casa com a lona que dispunham. Segundo a secretária municipal de Assistência Social, Aletânia Ramires, ainda nesta segunda-feira uma equipe vai levar telhas para refazer a cobertura da casa. No Assentamento Santa Terezinha, as 64 famílias estão sem energia elétrica. Depois da tempestade do dia 15, a energia só voltou na última sexta-feira, quando não tinham água nem pra beber.

Também há registro de falta de energia no Assentamento Estrela, que nos últimos quatro finais de semana sofreu com longos apagões. No Assentamento Jibóia, também há moradores sem energia, além da escola o que pode provocar a suspensão das aulas na Escola Leonida Balbuena nesta segunda-feira. No Assentamento Eldorado, a família de Laura Rosane está sob a luz de velas desde o temporal anterior. São 10 dias sem energia elétrica. Perdeu carne que tinha no freezer e o que havia na geladeira. Conseguiu emprestar um gerador que permitiu encher a caixa d'água para higiene pessoal, preparar alimentos e limpar a casa. Há muita roupa para ser lavada.

Na área urbana, os moradores do Sol Nascente, que na semana passada ficaram sem luz das 14 horas do sábado até às 22 horas do domingo (17), voltaram a sofrer com apagão por 12 horas (das 22 horas do sábado até às 10 horas deste domingo).