Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 25 de Outubro de 2020

Sidrolândia

Tribunal do Júri condena a 10 anos de prisão rapaz que matou mulher em bar

Fábio foi condenado a 10 anos de prisão por homicídio simples. Inicialmente ele cumprirá a pena em regime fechado.

Flávio Paes/Região News

01 de Outubro de 2020 - 07:33

Fábio Duarte de Souza. Foto: Arquivo/Região News

O Conselho de Sentença do Tribunal de Júri considerou culpado Fábio Duarte de Souza, 39 anos, que no dia 1º de setembro do ano passado, matou com golpes de faca Priscila Maria da Cruz, 27 anos. Fábio foi condenado a 10 anos de prisão por homicídio simples. Inicialmente ele cumprirá a pena em regime fechado.

O homicídio aconteceu no dia 1º de setembro do ano passado, por volta das 22 horas num bar na Rua Prudente de Moraes, onde supostamente havia venda e consumo de drogas. Fábio disse ter cometido o crime por vingança, desdobramento do desentendimento com a vítima por causa de drogas.

Priscila deixou órfão, um menino de 13 anos, que era criado pelos avós, acabou se envolvendo com drogas, praticou vários furtos e hoje está internado numa clínica para recuperação de dependentes químicos em Barretos, no interior de São Paulo, por decisão da Justiça.

Preso no dia seguinte ao crime, com preventiva decretada, ele acabou sendo colocado em liberdade no último dia 18 de maio, sendo desde então, monitorado por tornozeleira eletrônica. Como estava preso há um ano e 8 meses, sem ser submetido à julgamento, a instrução criminal já havia sido concluída, o juiz concedeu o benefício sob o entendimento que a preventiva não poderia perdurar indefinidamente. Ao ser interrogado, Fábio disse que conheceu a vítima num local de prostituição e acabou se desentendo com ela em 2018.

Na noite do crime entrou no bar para tomar uma dose de pinga quando viu Priscilla. Decidiu então se vingar a matando. Desferiu uma facada na barriga da vítima e no segundo golpe, perto do peito, a arma branca quebrou e lâmina fincada no corpo da vítima. Na fuga, perseguido por populares, jogou o cabo da faca e passou a noite numa casa abandonada. Acabou preso no dia seguinte na residência da sua mãe, onde foi localizado pela Polícia Militar.