Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Abril de 2024

SIDROLÂNDIA- MS

Mandados de prisão, busca e apreensão envolve empresários e servidores

Segundo o Gaeco, foi identificada nova ramificação da organização criminosa, atuante no ramo de engenharia e pavimentação asfáltica.

Redação/ Região News

03 de Abril de 2024 - 12:00

Mandados de prisão, busca e apreensão envolve empresários e servidores
O GAECO cumpriu nesta quarta-feira 8 mandados de prisão e 28 (vinte e oito) de busca e apreensão em Sidrolândia. Foto: Marcos Tomé/ Região News

O GAECO cumpriu nesta quarta-feira, 8 mandados de prisão e 28 (vinte e oito) de busca e apreensão em Sidrolândia. Entre os alvos estão o Chefe de Divisão de Compras e Licitação, Marcos Vinicius Rosseltini; secretario adjunto de Assistência Social, Paulo Vitor, de Educação, Rafael Rodrigues, Ana Cláudia Alves Flores, pregoeira Oficial da Prefeitura; os empresários Ueverton Macedo, conhecido como Frescura, Carmo Name Junior e Milton Matos, dono da 3M.

Na Capital foi preso o vereador Claudio Serra, ex-secretário Municipal de Fazenda. Houve busca e apreensão na casa do secretário de Educação, Rafael Rodrigues e Roberta de Souza, da Do Carmo Comércio Varejista de Manutenção Ltda.

Ao Região News o advogado Davi Olindo, que atuará na defesa da servidora Ana Paula Flores, revelou que ainda vai acessar o processo, mas que vai tentar que a cliente responda o processo em liberdade. “Eu vou lutar para ver se a justiça a coloque com tornozeleira. Quando eles fazem essas operações, eles estão municiados. Não tenho informação de se alguma coisa foi apreendida, mas seguramente quando prende levam celular, prende o computador, prende essas coisas", explicou.

Segundo o Gaeco, foi identificada nova ramificação da organização criminosa, atuante no ramo de engenharia e pavimentação asfáltica. Os contratos já identificados e objetos da investigação alcançam o montante aproximado de R$ 15 milhões.

O desdobramento das investigações, conduzidas pelo GECOC, ratificou a efetiva existência de uma organização criminosa voltada a fraudes em licitações e contratos administrativos com a Prefeitura Municipal de Sidrolândia, bem como o pagamento de propina a agentes públicos municipais.

A operação contou com o apoio operacional do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), do Batalhão de Choque e da Força Tática da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul, além da assessoria militar do MPMS.

O caso

Em maio do ano passado, o Ministério Público Estadual realizou a Operação Tromper, que teve como alvo nove pessoas e quatro empresas envolvidas em fraude em procedimento licitatório, falsidade ideológica, associação criminosa, sonegação fiscal e peculato.

O Ministério Público Estadual identificou a existência de um esquema de corrupção na atividade administrativa do município de Sidrolândia, aparentemente em funcionamento desde o ano de 2017, gestão passada, de Marcelo Ascoli, destinado a obtenção de vantagens ilícitas por meio de fraudes em licitações.

Os investigados foram denunciados por suspeita de criar objeto social sem apresentar qualquer tipo de experiência, estrutura e capacidade técnica para a execução do serviço nos contratos firmados com o município.