Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 30 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Acusados de assassinato em pesqueiro são condenados a 189 anos de prisão

Os quatro réus estão envolvidos no assassinato das três pessoas em setembro de 2010. Após o crime, eles enterraram os corpos que só foram encontrados 2 meses depois

Dourados Agora

22 de Agosto de 2014 - 13:58

Os três réus julgados nesta quinta-feira (21) em Dourados, acusados de participação no assassinato de José Helio Louvandoski Toniazo, 50, Maicon Helio Marques Louvandoski, 24 e Manuel Leal Araújo, 37, em setembro de 2010, num pesqueiro localizado na região do Jardim Guaicurus, foram condenados em 189 anos de prisão.

Os números refletem a somatória das três condenações em primeira instância, decididas por volta das 20h30, e divulgada duas horas depois pelo juiz César de Souza Lima, após decisão do júri popular. Iédson da Silva Graça, o ‘Zé Goré’, preso em 2012 numa fazenda na região de Glória de Dourados, recebeu pena de 63 anos.

Dirceu Vasquez foi condenado a 63 anos e 9 meses e Marcos Aurélio da Silva, considerado foragido da Justiça, 62 anos e três meses de reclusão em regime fechado. Uma quarta pessoa ainda será julgada, trata-se de Júnior de Souza Pereira, acusado de ser o mandante do crime. Apesar da condenação, cabe recurso por parte da defesa dos acusados.

O CASO

Os quatro réus estão envolvidos no assassinato das três pessoas em setembro de 2010. Após o crime, eles enterraram os corpos que só foram encontrados mais de dois meses após o caso. Segundo as informações policiais da época, houve tortura e cada vítima teria levado dois tiros na cabeça.

Maicon e Manuel segundo, informações da polícia na época, teriam ligações com o tráfico de entorpecentes e José Hélio foi morto porque estava na companhia do filho no momento que foi pego pelos acusados.