Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Sidrolandia

Advogada diz que mãe de Eliza Samudio teme pela vida dela e do neto

Ministro do STF mandou soltar goleiro Bruno na última terça-feira (21). Em 2013, ele foi condenado a 22 anos e 3 meses pela morte de Eliza

G1 MS

25 de Fevereiro de 2017 - 10:05

A advogada Maria Lúcia Borges Gomes, que cuida dos processos da família de Eliza Samudio, disse que a mãe da vítima, Sônia de Fátima Moura, teme pela vida dela e do neto Bruninho, filho da Eliza e do goleiro Bruno Fernandes, depois da decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou a liberdade dele, na última terça-feira (21).

“Ela disse estar muito triste com a decisão e teme pela vida dela e do neto”, disse a advogada. Sônia e o neto moram em Anhanduí, distrito de Campo Grande. A criança completou 5 anos no último dia 10 de fevereiro, segundo Maria Lúcia.

Bruno foi condenado pela morte e ocultação de cadáver de Eliza e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Ele está preso preventivamente, enquanto aguarda o julgamento de sua apelação ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O ministro do STF Marco Aurélio entendeu que há excesso de prazo nessa prisão e que o goleiro tem direito a aguardar em liberdade a decisão sobre os recursos. Depois de julgados os recursos, caso a condenação seja mantida, ele deve voltar para a prisão.

Maria Lúcia aguarda o parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre a decisão do ministro para recorrer da decisão. “A PGR deve ser contrária”, afirmou. Segundo a defesa, o parecer será julgado pela mesma turma do Supremo de Marco Aurélio.

Ao conceder liberdade para o goleiro Bruno, o ministro Marco Aurélio afirmou que o alvará deve ser expedido caso não haja ordem de prisão além da provisória decretada no processo no qual ele foi condenado a 22 anos e três meses. O advogado de Bruno, Lúcio Adolfo, ele está preso exclusivamente por conta do caso Eliza Samudio.

A medida precisa ser comunicada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), o que foi feito nesta sexta-feira (24), e à Vara de Execuções Penais de Santa Luzia, em Minas Gerais. O TJMG informou que foi notificado da decisão de liberar Bruno.

Condenação
Em 8 de março de 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e 3 meses pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e também pelo sequestro e cárcere privado do filho.

Bruno foi condenado a 17 anos e 6 meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima), a outros 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro e cárcere privado e ainda a mais 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver. A pena foi aumentada porque o goleiro foi considerado o mandante do crime, e reduzida pela confissão do jogador.

Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi achado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.