Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 27 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Ainda ilegal, consumidor reclama de cobrança ‘diferenciada’ em compras com cartão

Com a medida o comerciante poderá aplicar preços maiores para a quitação desta modalidade. Medida Câmara dos Deputados e depois para a presidência

Dourados News

14 de Agosto de 2014 - 13:24

No dia 6 de agosto, o Senado aprovou um projeto de autoria do senador Roberto Requião (PMDB/PR), que prevê cobrança diferenciada para pagamento utilizando cartões de crédito. Com a medida o comerciante poderá aplicar preços maiores para a quitação desta modalidade, o que hoje não é permitido por lei. A medida agora segue para a Câmara dos Deputados e depois para a presidência.

Diante do encaminhamento do projeto, a reportagem esteve nas ruas de Dourados para saber da opinião dos populares a respeito da possível cobrança. E se surpreendeu. Para boa parte dos entrevistados, caso o projeto seja sancionado, seria apenas a legalização da cobrança já realizada por vários estabelecimentos da cidade.

A professora aposentada de 50 anos, moradora na área central e que pediu para não ter o nome divulgado, disse que esse diferencial já é feito por vários estabelecimentos, gerando reclamações contra os vendedores. Para ela a medida apena legaliza o que já é cobrado.

“Pra mim a medida apenas legaliza o que já é cobrado, sabendo dos meus direitos sempre reclamei e acabei com o meu dinheiro devolvido”, disse a professora.

A balconista Tamires de Souza Miticovi, de 25 anos, também reclama do acréscimo e acredita que essa medida só prejudica o consumidor e que mais de 50% de suas contas são pagas pelo cartão. “Isso é muito ruim. É mais uma taxa a ser cobrada da gente, infelizmente”, reclamou a balconista.

O comerciante Fauzi Salem, disse que atualmente 70% de suas vendas são pelo cartão, e que o empresário precisa desembolsar taxas para as empresas que disponibilizam o serviço. Ao todo são 2,5% do faturamento para a operadora de cartão na venda à vista e 3,8% quando o pagamento é a prazo.

Procurado pelo site, o diretor do Procon (Programa de Defesa do Consumidor) de Dourados, Rozemar de Mattos, disse que todas as cobranças diferenciadas com o cartão são ilegais, e a entidade, quando recebe a denúncia, tem autuado o comerciante com multas e notificações.

Ainda segundo ele, “tudo que tira o beneficio do consumidor, não agrada o Procon”. O diretor contou que tem acompanhado a discussão da medida e que apesar de ter sido aprovada no Senado, ele não acredita na aprovação pela Câmara dos Deputados ou que a lei seja sancionada pela presidente.