Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 27 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Amigos criam aplicativo para motorista não usar celular no trânsito

O aplicativo “Mãos ao Volante” foi lançado na quinta-feira (28) à meia-noite. O programa foi desenvolvido em oito dias

Campo Grande News

30 de Agosto de 2014 - 10:50

Com o aumento no número de mortes no trânsito por conta do uso do celular, quatro amigos se uniram para desenvolver um aplicativo que diminua as estatísticas. A cada uso do app, o condutor acumula pontos e pode entrar em um ranking e, futuramente, trocar por prêmios.

O aplicativo “Mãos ao Volante” foi lançado na quinta-feira (28) à meia-noite. O programa foi desenvolvido em oito dias. No dia 20, Jefferson Moreira, 30 anos, começou a desenvolver uma ideia sobre um programa que fizesse com que o motorista parasse de usar o telefone ao volante.

Com a ajuda de Pedro Calgaro, Diogo Soares e Ney Ricardo, o app começou a criar “vida”. Três dias depois ele já estava pronto para testes.

Jefferson explicou que o app começa a funcionar assim que o carro chegar a 30km/h. “O celular entra em modo silencioso e a partir disso começa a acumular pontos. Um ponto por minutos sem usar o telefone”, explica.

Além de participar de um ranking, os motoristas também poderão trocar os pontos por prêmios. “O aplicativo ainda não faz esta troca. Ainda estamos estudando tudo isso, como regras, termos de adesão e políticas de privacidade, mas muitas pessoas já nos procuraram para fechar parcerias”.

Não serão somente os motoristas que poderão ganhar os pontos. Quem usa meios alternativos de transporte, também acumularão. “Todos que promoverem a mobilidade urbana. Andando de bicicleta, ônibus. Serão uma estatística a menos”, comentou Ary.

Mas estas atualizações somente serão incorporadas aos aplicativos de acordo com as próximas versões. “Nossa intenção é que as pessoas parem de usar o celular enquanto dirigem. De acordo com pesquisas, usar o celular aumenta em quatro vezes os riscos de acidentes”, revelou Jefferson.

O especialista em aplicativos, Kenneth Corrêa, 31, ainda não testou o “Mãos ao volante”, mas admirou a iniciativa dos campo-grandenses. “Isso terá um papel importante para conscientizar os motoristas, pois a maior parte dos acidentes foram causadas pelo uso do celular”, comentou