Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

André vai cobrar do BB liberação de empréstimo para a Rio Pardo Bionenergia

A Rio Pardo Bioenergia está instalando em Sidrolândia, na Rodovia BR 060, Km 425 (saída para Nioaque), uma unidade esmagadora de soja com investimento inicial de R$ 22 milhões.

Flávio Paes/Região News

12 de Dezembro de 2012 - 08:58

O governador André Pucinelli vai aproveitar o encontro que terá hoje em Três Lagoas com a alta direção do Banco do Brasil na inauguração da Eldorado Brasil Celule, para cobrar a liberação do financiamento de R$ 22 milhões do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) que a Rio Pardo Bioenergia apresentou ano passado para viabilizar a instalação de uma unidade de esmagamento de soja em Sidrolândia. “As vezes este pessoal do Banco do Brasil se esquece que o banco é um mero repassador dos recursos do FCO, que é um fundo formado com recursos da arrecadação do governo federal nos estados e emperram estes investimentos como estes que está prestes a ficar pronto”.

Diante das reclamações do diretor da Rio Pardo, Osvaldo Neves de Aguiar, que está custeando o empreendimento com recursos próprios, o governador não poupou palavras duras contra a burocracia do Banco do Brasil. “Este pessoal que fica em Brasília, no ar-condicionado, não levanta a bunda da cadeira para conhecer os rincões do Brasil real, que trabalha e empreende.

A Rio Pardo Bioenergia está instalando em Sidrolândia, na Rodovia BR 060, Km 425 (saída para Nioaque), uma unidade esmagadora de soja com investimento inicial de R$ 22 milhões. Os trabalhos de implantação começaram em março deste ano e a previsão de inauguração é fevereiro de 2013.

“Estamos sempre ao lado dos empreendedores. O governo tem trabalhado, em parceria com a Assembleia Legislativa na manutenção da política de incentivos fiscais praticada em Mato Grosso do Sul. Estamos modificando a matriz econômica do Estado. Queremos diversificar e atrair novos investimentos, tanto no setor de silvicultura quando no setor de bioenergia. Mato Grosso do Sul quer progredir, quer avançar e está ao lado os empreendedores. É um grande avanço para Mato Grosso do Sul a vinda a Rio Pardo Bioenergia, trazendo alta tecnologia e empregos para o crescimento do estado” afirmou o governador André.

No início do funcionamento, a indústria terá capacidade diária de esmagamento de 300 toneladas de soja. Em plena operação o volume de soja esmagada chegará a 1.200 toneladas/dia (previsão para dois anos). Hoje toda a produção da cidade, em torno de 194 mil toneladas (safra 2010/2011), que não é exportada em grãos, é esmagada em indústrias de Campo Grande e Três Lagoas.

O diretor-Presidente da Rio Pardo, Osvaldo Neves de Aguiar, afirmou que a a empresa atuará de forma sustentável com a mais alta tecnologia conhecida no setor. “Vamos mudar o conceito de extração de óleo vegetal em todo o mundo. É um processo inteiramente sustentável com o máximo de produção de proteína de soja por quilo. Tivemos um grande apoio do governo do Estado e da secretária de Produção e Turismo (Seprotur) Teresa Cristina. Já foram investidos R$ 22 milhões e queremos iniciar nossa produção em fevereiro de 2013” afirmou Osvaldo de Aguiar. 

Segundo informações da Prefeitura de Sidrolândia, este será o maior empreendimento industrial da cidade dos últimos 10 anos, com geração de 300 empregos diretos e cerca 1,5 mil indiretos (incluindo a fase de construção). A unidade também vai produzir óleo e biodiesel a partir da soja.