Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Julho de 2024

Sidrolandia

Ao ser preso, vigilante diz à polícia de SE que não matou Mércia e não fugiu

Evandro da Silva alegou que foi ao Nordeste a passeio, diz polícia de SE. Polícia de SP deve chegar durante a tarde desta sexta a Aracaju.

G1

09 de Julho de 2010 - 13:20

O vigilante Evandro Bezerra da Silva, de 38 anos, preso pela polícia sergipana na madrugada desta sexta-feira (9) no interior do estado por suspeita de envolvimento no assassinato de Mércia Nakashima, afirmou aos policiais locais que não participou da morte da advogada. O segurança também negou que tivesse fugido de São Paulo para Sergipe. Alegou que estava no Nordeste a passeio. As informações são da Polícia de Sergipe.

Evandro estava com a prisão temporária (válida por um mês) decretada pela Justiça paulista desde o dia 25 de junho por faltar a um depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) em São Paulo.

O corpo de Mércia foi achado em 11 de junho numa represa em Nazaré Paulista, no interior do Estado. O carro dela foi encontrado um dia antes no mesmo local. Ela estava desaparecida desde 23 de maio, quando saiu da casa dos avós em Guarulhos, na Grande SP. Para o DHPP, Evandro, o ex-namorado da vítima, o advogado e policial militar Mizael Bispo de Souza, e o irmão de Mizael são suspeitos do crime. Os irmãos Souza também negam as acusações.

Envolvimento

Ainda, de acordo com a investigação do DHPP, a quebra de sigilos telefônicos dos suspeitos autorizada pela Justiça revelou que Evandro conversou diversas vezes com Mizael, pessoalmente e por telefone, antes, durante e depois do desaparecimento e morte de Mércia.

“O Evandro participou. Veja o que nós temos aí. Eles se encontravam, né? Se encontraram muito antes do crime. Ees se encontraram no dia do crime, se encontraram um dia antes do crime. Quer dizer: tem muitas coincidências, muitas ligações [telefônicas], muitas coisas que unem os dois nos dias dos fatos”, disse o delegado Antonio de Olim, do DHPP.

Além disso, uma testemunha chegou a dizer à polícia de SP que o segurança Evandro teria recebido R$ 5 mil de Mizael para fazer uma "coisa errada". Para a investigação, essa "coisa errada" seria ajudar a matar Mércia.

O segurança foi preso às 2h45 desta sexta, num sítio em Canindé de São Francisco, a 200 km da capital Aracaju, onde estava escondido com familiares. Evandro não resistiu à prisão em Sergipe. Por questões de segurança, ele foi levado à cadeia pública de Nossa Senhora da Glória, distante 115 km da capital sergipana.

O vigia deve ser transferido para São Paulo até sábado (10). Para isso, o delegado Antonio de Olim e um investigador do DHPP embarcaram na manhã desta sexta num vôo que partiu do aeroporto de Congonhas, na capital paulista, para Aracaju. A previsão é que eles cheguem ao destino durante a tarde desta sexta.

O objetivo dos policiais de SP é ouvir Evandro no Nordeste e trazê-lo preso até a sede do departamento, na capital paulista, onde o suspeito deverá prestar outro depoimento.


Alagoas

Segundo Antonio Francisco de Oliveira Filho, delegado da polícia em Sergipe, depois de fugir do estado de São Paulo, Evandro também passou por Alagoas e há duas semanas foi para a casa de parentes, no interior de Sergipe, onde foi preso.

O vigilante chegou algemado e usando colete à prova de balas na sede da Secretaria da Segurança Pública de Sergipe. Durante a madrugada, ele falou com um delegado de Sergipe. Esse depoimento foi lacrado e será entregue ao delegado Olim no início da tarde desta sexta.

A Polícia Civil de Sergipe informa que Evandro confirmou que trabalhava para o ex-namorado de Mércia e que mantinha contatos com o Mizael pois trabalhava para ele como segurança. O vigia cuidava de um posto de combustíveis em Guarulhos.

Trabalho conjunto

A prisão dele foi possível graças ao trabalho em conjunto das polícias paulista, sergipana e alagoana. O vigilante estava sendo monitorado há cerca de dez dias por meio da quebra dos sigilos telefônicos do seu celular autorizada pela Justiça.

“Nós estamos monitorando ele há uns 10 dias, tem até uns policiais de Alagoas que nos apoiaram. E por São Paulo eu fui monitorando, fui fechando o cerco até onde ele estava hospedado na casa de um cunhado dele juntamente com a esposa e hoje [sexta] o pessoal da especializada de Sergipe invadiu a residência lá e prendeu o Evandro”, disse o delegado Antonio de Olim, do DHPP.

Como está sob custódia da investigação, Evandro deverá ser levado preso para algum distrito policial em São Paulo para dormir. Geralmente, o 77º DP, em Santa Cecília, na região central, acolhe presos temporários.

A Polícia Civil aguarda os laudos sobre a causa da morte de Mércia e o que foi encontrado no veículo dela. A advogada levou um tiro de raspão no rosto, teria desmaiado e morrido afogada. Um pescador chegou a ver o veículo dela afundar na represa e disse também ter escutado gritos de mulher. A testemunha ainda falou à polícia ter visto um homem alto não identificado deixar o automóvel.