Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Artuzi teria recebido cheque superior a R$ 4 mil referente ao 13º

Dourados Informa

05 de Janeiro de 2011 - 16:46

Na manhã de hoje, o ex-prefeito de Dourados, Ari Valdecir Artuzi, que foi expulso de seu partido, o PDT, causou surpresa ao visitar o CAM (Centro Administrativo Municipal) da cidade, que reúne o gabinete da prefeitura e secretarias, e segundo apurou a reportagem, ele foi receber seu 13º pagamento que na ordem passou de quatro mil reais.

Ainda de acordo com o apurado pela reportagem, por estar com seus bens bloqueados pela Justiça após ser preso pela Polícia Federal juntamente com seu vice-prefeito Carlinhos Cantor, nove dos 12 vereadores, entre eles o presidente da Câmara Municipal Sidlei Alves; secretários municipais e empresários, acusado de chefiar uma quadrilha que cometia desvio de verba pública, principalmente da Saúde e da Educação, Ari Artuzi a pedido recebeu os valores em cheques, já que se fosse depositado em sua conta, corria o risco de ter seu dinheiro assim como seus bens, confiscados.

Após receber o “cheque”, Ari Artuzi que chegou sozinho ao local por volta das 10 horas, percorreu algumas secretarias, e cumprimentou alguns funcionários da administração municipal.

Ari Artuzi renunciou à prefeitura no mês passado, depois de ficar mais de 90 dias na prisão, depois de ser preso na manhã do dia 1º de setembro último na operação “Uragano”,que traduzido quer dizer “furacão”, que foi realizada pela PF (Polícia Federal).

A operação que contou com a ajuda do ex-secretário de Ari Artuzi, o jornalista Eleandro Passaia, apontado como o grande delator do esquema que revelou o pagamento de propinas e corrupção a ele próprio, ao seu vice; esposa; vereadores, e empresários, ainda está em andamento na Justiça.

Por outro lado, a visita surpresa de Ari Artuzi deixou os servidores perplexos e alimentou questionamentos sobre o motivo dele ter ido até a prefeitura que comandou por quase dois anos, após vencer a eleição derrotando o então candidato do governador André Puccinelli, Murilo Zauith e Wilson Biasotto, que tinha o apoio do ex-prefeito e eleito deputado estadual Laerte Tetila.


Ainda na prefeitura, consta que a prefeita interina Délia Razuk (PMDB), estava no gabinete do secretário de Finanças, e que ela foi avisada sobre a presença de Ari Artuzi na prefeitura, porém os dois não se encontraram.

Em liberdade desde o fim do ano passado, Ari Artuzi voltou para Dourados após ter ficado preso vários dias em uma cela de uma delegacia e também do Presídio Federal em Campo Grande.

Vale ressaltar que a cidade terá nova eleição no dia 6 de fevereiro e que em setembro, logo após a prisão do então prefeito, a população apedrejou a casa dele na região do Jardim Canaã I, bem como a revolta dos populares também resultou em quebra-quebra na Câmara Municipal, oportunidade em que o hoje vereador afastado Aurélio Bonatto chegou a ser agredido com uma sapatada no rosto, quando tentou sem sucesso conduzir uma sessão ordinária, dias depois de ter saído da cadeia da PHAC (Penitenciária Harry Amorim Costa) juntamente com alguns dos acusados de estarem envolvidos na suposta quadrilha que segundo a PF era chefiada pelo ex-prefeito.