Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Ascensão de Sidrolândia em 2014 será superior aos últimos 4 anos, diz prefeito

Ele aposta na instalação de novas indústrias, universidade, empresas de pequeno e médio porte para alavancar a geração de emprego e renda.

Marcos Tomé/Região News

21 de Outubro de 2013 - 15:52

O Prefeito Ari Basso (PSDB) parece ter tomado gosto pela vida pública, já prevê crescimento populacional e econômico ambicioso para 2014, além de dar sinais de disposição física e politica para aglutinar o maior número de lideranças ao ninho tucano. Pelos menos, está é a leitura mais fidedigna das últimas investidas do produtor rural de 66 anos.

Após o ex-prefeito e “tutor” do governo Enelvo Felini, deixar o cargo que ocupava no Paço Municipal, Basso tem tratado pessoalmente de alguns assuntos partidários, composição da base de aliados na Câmara e até, dado gestos de que seu governo será participativo, dando espaço para que a oposição também cumpra seu papel, contribuindo com o crescimento da cidade.

Com este perfil é que o chefe do Executivo deve tratar a classe política de agora em diante, vai buscar um entendimento com o grupo de oposição e projetar o desenvolvimento do município para o próximo ano. Apesar da previsão Orçamentária de R$ 136 milhões para 2014, Basso avalia que Sidrolândia deve crescer em 1 ano o que não se viu nos últimos 4.

Ele aposta na instalação de novas indústrias, universidade, empresas de pequeno e médio porte, além da melhora nas vendas do comercio para alavancar a geração de emprego e renda. Algumas ações já estão definidas, como é o caso do grupo Balbinos, do empresário Antônio Márcio Fedes que esta investindo R$ 12 milhões na instalação do Frigorífico Balbinos com capacidade para abater 600 cabeças de gado e que deve gerar 350 empregos diretos a partir do ano que vem.

Ari Basso não foi nada modesto quando falou dos investimentos na área de geração de emprego, dos projetos da administração em urbanização e nos recursos que devem ser liberados pelo governo federal. Além das obras inacabadas deixadas pelo ex-prefeito Daltro Fiuza, todas retomadas este ano, há projetos cadastrados e selecionados no PAC-2 na ordem de R$ 13 milhões que prevê pavimentação asfáltica em praticamente todas as ruas da cidade.

“Sou de falar pouco, mas trabalhar bastante. Vocês irão ver esta cidade se transformar num polo de desenvolvimento com tamanha proporção, que as pessoas nos outros municípios irão querer vir pra cá para trabalhar e morar”, disse o prefeito durante ato de filiação do PSDB na última quinta-feira (17/10).