Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Assentados contabilizam faturamento de até R$ 1.500,00 por mês com feira livre

Esta receita ajuda a garantir o orçamento de famílias como a do assentado Francisco Quirino, que mora num lote de 16 hectares no Assentamento Vista Alegre.

Flávio Paes/Região News

16 de Setembro de 2013 - 08:08

Com dois meses de funcionamento a Feira Municipal de Sidrolândia já está trazendo bons resultados financeiros para os assentados que estão entre os 156 feirantes que todos os sábados instalam suas barracas na Rua Distrito Federal entre 4 da tarde e às 10 horas da noite. Como é uma venda direta ao consumidor a feira tem garantido boas margens de lucro aos assentados que chegam a obter faturamento bruto de R$ 1.500,00 por mês.

Esta receita ajuda a garantir o orçamento de famílias como a do assentado Francisco Quirino, que mora com a mulher e as duas filhas num lote de 16 hectares no Assentamento Vista Alegre. A horta no lote do senhor Quirino ocupa só um hectare e neste período de estiagem, quando a produção leiteira cai bastante, tornou-se a principal fonte renda da família.

Do seu rebanho de 20 cabeças de gado só três vacas estão produzindo 20 litros por dia, muito pouco para gerar um faturamento significativo. Toda a produção de alface, rúcula, brócolis que traz a feira é comercializada rapidamente.

Francisco integra a Associação Renovada dos Produtores Familiares Vista Alegre, que semanalmente entrega 2,5 mil quilos de frutas, verduras e legumes vendidos à Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) como parte do Programa de Aquisição de Alimentos da agricultura familiar. Com a renda obtida ele já conseguiu  trocar  o Gol 1985 pelo Palio 2004 que  é o atual carro da família. Através do PAA, o Governo federal vai destinar cerca de R$ 14 milhões à agricultura familiar até o fim deste ano., valor é 17% maior que os R$ 11,96 milhões movimentados no ano passado.

Quem também comemora o resultado financeiro com as vendas nas feiras são as cunhadas Sandra Barroso Salustiano, de 30 anos e  Cristiane Santuarião Henrique, que todos os sábados cumprem uma jornada de 10 horas para vender um amplo leque de produtos desde alface, cheiro verde, maxixe, tomate, couve-flor, quiabo, vagem.

Juntas com os maridos tocam um lote no Alambari CUT que fica localizado a 60 quilômetros da área urbana. Depois de lotar o veículo Pálio com todos estes lotes de produtos, elas deixam o assentamento por volta da 1 hora da tarde e chegam em casa por volta das 11 da noite. O faturamento semanal de R$ 250,00, ou R$ 1 mil por mês, está sendo usado para custear o plantio dos 5 hectares de horta, cuja maior parte da produção as duas famílias vendem para atacadistas de Campo Grande ou mesmo à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Foto: Marcos Tomé/Região News

Assentados contabilizam faturamento de até R$ 1.500,00 por mês com feira livre

Sandra Barroso Salustiano, de 30 anos e  Cristiane Santuarião Henrique

O dinheiro faturado na feira é usado na compra de sementes, adubos e todos os insumos necessários, ampliando a margem de lucro com as vendas para a capital que rendem aproximadamente por R$ 5 mil por mês.