Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Assentados do Eldorado II se irritam com descaso do INCRA sobre moradias

Marcos Tomé/Região News

03 de Fevereiro de 2011 - 07:49

Assentados do Eldorado II se irritam com descaso do INCRA sobre moradias
Assentados do Eldorado II se irritam com descaso do INCRA sobre moradias - Foto: Marcos Tom

No último dia 26 de janeiro, cerca de 500 assentados reuniram-se com dirigentes da Fetagri e INCRA na sede do Assentamento Eldorado II no município de Sidrolândia cerca de 500 assentados para discutir soluções emergenciais para dar fim aos problemas envolvendo construção de moradias para atender as famílias que ainda não foram atendidas com tais benefícios e vivem em barracos a mais de 4 anos. 

Das 768 famílias assentadas e ligadas a Fetagri, apenas 20% receberam investimentos para moradia através de um sistema de sorteio, outras 614 aguardam em barracos a liberação dos recursos. Outro dilema vivido pelas famílias é a impossibilidade de acesso ao crédito de custeio da produção por estarem morando de forma improvisada.

Para por fim ao assunto, o superintendente do INCRA em Mato Grosso/> do Sul, Manoel Furtado das Neve, esteve pessoalmente a referida reunião no Eldorado II e prometeu ações imediatas sobre o caso. Naquela oportunidade ficou acertado com os assentados que a compra dos materiais de construção para atender as famílias seria feita através de processo licitatório.

A data de abertura dos envelopes contendo as propostas das empresas deveria ter ocorrido na tarde desta quarta-feira (2) na sede do INCRA em Campo Grande/> conforme agendado e constatado em ATA. Ansiosos/> pelo fim da novela que já se arrasta a mais de 4 anos, Assentados do Eldorado II fizeram caravana para assistirem a abertura do referido processo licitatório.

Para surpresa dos pequenos produtores e autoridades, ao chegarem a sede do INCRA para acompanhar o processo, foram informados de que não haveria tal abertura de envelopes, caracterizando total desrespeito para com o pequeno produtor que deixou sua propriedade e seus afazeres no campo para, além de não resolver, gastar tempo e dinheiro indo a capital.

Informações revelam que não foi encontrado nenhum dos representados do INCRA no órgão, apenas as atendentes que não sabiam dar muitos esclarecimentos sobre o caso. Manteremos contato com dona Rosa Marques de Oliveira, Diretora Sindical, para mais informações.