Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 31 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Assentamento Itamarati revela potencial para ser novo município no MS

Com uma população de 15.867 habitantes e um núcleo urbano de 80 hectares, o assentamento Itamarati já sustenta o porte de um município. E a maior indicação desse potencial é a produção de cereais com destaque para soja, milho e feijão, que na safra 2011/2012 foi fechada com 72.900.000 quilos desses produtos. O objetivo do Incra é ver o local transformado em novo município. Se pensássemos apenas em termos de população, o assentamento - situado em Ponta Porã (MS), no extremo Sul do estado e na divisa com o Paraguai - seria o 38º município entre os 79 de Mato Grosso do Sul. Além disto, considerando as devidas proporções já mostra um forte desempenho na economia local, inclusive com repercussão no exterior para onde realiza exportação de vários produtos. Um dos exemplos marcantes nas exportações foi a recente remessa para a Venezuela de 500 mil toneladas de sementes de feijão preto. A quantidade não é das maiores, mas tem um caráter de cooperação técnica com o Brasil na fixação do programa de soberania da produção agrícola do governo Hugo Chaves. Está incluso no acordo assistência técnica com a cooperação da Embrapa Dourados. Produção coletiva Uma das maiores demonstração de força de vontade no crescimento sócio-econômico do assentamento é visto na Associação de Moradores e Ex-funcionários da Fazenda Itamarati (AMFFI). Na agrovila em que vivem pode se afirmar que quase todas as casas têm automóvel. Se isto não acontece em alguma casa, uma ou duas motos suprem a necessidade de locomoção. Hoje, para a lida no campo, essas famílias contam com um número alto de veículos: são 33 tratores, nove colheitadeiras e dez caminhões. Também os que trabalham isoladamente vêm sendo bem sucedidos. Um deles é o agricultor Valtair Mariotti, 55 anos, com esposa, sete filhos, 15 netos e um bisneto. A família produz leite, soja, milho, cana e até eucalipto. “É muita felicidade ter a companhia todos os dias dessa minha grande família. É minha maior riqueza”. Há inclusive assentados que conseguiram um comércio no futuro núcleo urbano que já é bastante movimentado e principal centro de compra da população assentada no local. Na área que será destinada ao núcleo urbano, existem 330 moradias e 130 edificações destinadas ao comércio onde pode-se encontrar de tudo: farmácias, supermercados, lanchonetes, padarias, escritórios de Contabilidade, hotéis, lojas de materiais de construção, clinica dentária, ótica, escritório de advocacia, lan-house, loja de móveis, veterinárias, oficinas mecânicas para carros, motos e tratores, restaurantes, igrejas, loja de confecções, autopeças, Correio, escolas de informática, distribuidora de gás, serralheria, salão de beleza, clube de recreação, jornal semanário, enfim, uma estrutura que, a despeito de uma normatização municipal, cresce a olhos vistos, fruto de uma demanda reprimida.Educação e Saúde A Escola Estadual Nova Itamarati tem matriculados 1.820 alunos este ano. É o maior número de alunos matriculados nua escola pública no estado. No assentamento ainda há outras quatro escolas públicas, sendo três estaduais e duas municipais, totalizando 3.500 alunos. Segundo o diretor da escola, José Carlos de Brito, 50% dos alunos que concluem o ensino médio prestam exame do Enem. A saúde pública conta com quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS). Além da rotina normal, as UBS realizam atendimentos especializados, entre os quais visitas domiciliares a acamados, idosos e monitoramento de hipertensos e diabéticos.

INCRA

21 de Novembro de 2012 - 14:35

Com uma população de 15.867 habitantes e um núcleo urbano de 80 hectares, o assentamento Itamarati já sustenta o porte de um município. E a maior indicação desse potencial é a produção de cereais com destaque para soja, milho e feijão, que na safra 2011/2012 foi fechada com 72.900.000 quilos desses produtos. O objetivo do Incra é ver o local transformado em novo município.

Se pensássemos apenas em termos de população, o assentamento - situado em Ponta Porã (MS), no extremo Sul do estado e na divisa com o Paraguai - seria o 38º município entre os 79 de Mato Grosso do Sul. Além disto, considerando as devidas proporções já mostra um forte desempenho na economia local, inclusive com repercussão no exterior para onde realiza exportação de vários produtos.

Um dos exemplos marcantes nas exportações foi a recente remessa para a Venezuela de 500 mil toneladas de sementes de feijão preto. A quantidade não é das maiores, mas tem um caráter de cooperação técnica com o Brasil na fixação do programa de soberania da produção agrícola do governo Hugo Chaves. Está incluso no acordo assistência técnica com a cooperação da Embrapa Dourados.

Produção coletiva

Uma das maiores demonstração de força de vontade no crescimento sócio-econômico do assentamento é visto na Associação de Moradores e Ex-funcionários da Fazenda Itamarati (AMFFI). Na agrovila em que vivem pode se afirmar que quase todas as casas têm automóvel. Se isto não acontece em alguma casa, uma ou duas motos suprem a necessidade de locomoção. Hoje, para a lida no campo, essas famílias contam com um número alto de veículos: são 33 tratores, nove colheitadeiras e dez caminhões.

Também os que trabalham isoladamente vêm sendo bem sucedidos. Um deles é o agricultor Valtair Mariotti, 55 anos, com esposa, sete filhos, 15 netos e um bisneto. A família produz leite, soja, milho, cana e até eucalipto. “É muita felicidade ter a companhia todos os dias dessa minha grande família. É minha maior riqueza”. Há inclusive assentados que conseguiram um comércio no futuro núcleo urbano que já é bastante movimentado e principal centro de compra da população assentada no local.

Na área que será destinada ao núcleo urbano, existem 330 moradias e 130 edificações destinadas ao comércio onde pode-se encontrar de tudo: farmácias, supermercados, lanchonetes, padarias, escritórios de Contabilidade, hotéis, lojas de materiais de construção, clinica dentária, ótica, escritório de advocacia, lan-house, loja de móveis, veterinárias, oficinas mecânicas para carros, motos e tratores, restaurantes, igrejas, loja de confecções, autopeças, Correio, escolas de informática, distribuidora de gás, serralheria, salão de beleza, clube de recreação, jornal semanário, enfim, uma estrutura que, a despeito de uma normatização municipal, cresce a olhos vistos, fruto de uma demanda reprimida.

Educação e Saúde

A Escola Estadual Nova Itamarati tem matriculados 1.820 alunos este ano. É o maior número de alunos matriculados nua escola pública no estado. No assentamento ainda há outras quatro escolas públicas, sendo três estaduais e duas municipais, totalizando 3.500 alunos. Segundo o diretor da escola, José Carlos de Brito, 50% dos alunos que concluem o ensino médio prestam exame do Enem.

A saúde pública conta com quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS). Além da rotina normal, as UBS realizam atendimentos especializados, entre os quais visitas domiciliares a acamados, idosos e monitoramento de hipertensos e diabéticos.