Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 31 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Atleta sidrolandense é aprovado em exame faixa preta de Karate

O tempo médio para um praticante chegar a faixa preta é de 05 cinco anos, e a idade mínima é de 12 anos de idade

Assessoria

11 de Fevereiro de 2014 - 16:36

Representantes da academia Budô de karatê de Sidrolândia estiveram em Dois Vizinhos/PR onde participaram do primeiro Gashuku nacional do ano, nos dias 07, 08 e 09 de fevereiro,  os atletas e acompanhantes estiveram alojados no pavilhão da Igreja Católica e os treinamentos físicos e técnicos realizados no ginásio da Unisep (Faculdade de educação física de Dois Vizinhos PR). 

Ministrou o Gashuku o mestre Koji Takamatsu de 83 anos e faixa preta 9º Dan mestre dos mestres, e seu filho Sergio Takamatsu, faixa presta 7º dan do karatê estilo wado-ryu.  De Sidrolândia foram quatro representantes, o sensei Vilson Rios e os alunos Nithielly Andrade Weigner, Anderson Nascimento Soares e Gabriely Santos Belo, na ocasião o atleta Anderson Nascimento Soares prestou o seu primeiro exame para faixa preta 1º Dan e foi aprovado com uma excelente nota, ficando entre os três melhores avaliados.

Segundo o sensei e Diretor técnico do Mato Grosso do Sul Vilson Rios, o aluno ou discípulo do karatê; Anderson Nascimento Soares de 16 anos, sempre teve em destaque no Projeto Seara (ARCS) treinando com a Sensei Marines Menon e na academia onde também  treinava com dedicação, Anderson iniciou em 2005 aos 08 anos de idade e nunca parou de praticar,  sempre participou dos cursos de reciclagem.  

O tempo médio para um praticante chegar a faixa preta é de 05 cinco anos,  e a idade mínima é de 12 anos de idade, Anderson  esta no karatê a 08 anos  e aproveitou para  prepara-se melhor por isso obteve a 3ª melhor nota entre 21 candidatos.

O sensei Vilson Rios salienta ainda que conta com o apoio dos pais e agradece os que acreditam no seu trabalho, lembra ainda que a proposta é de formar muitos alunos no karate “quando cheguei aqui em 2004 as pessoas me olhavam com desconfiança, pois sempre que vinha um professor de karate ficava pouco tempo na cidade e logo mudava para outra cidade deixando os praticantes abandonados, hoje estamos atendendo mais de 200 praticantes em nossa cidade através dos projetos Formando Vencedores, Academia Budô, Sensei Vilson Rios, Escola Abadia, e Projeto ARCS  prof. Marines Menon”.